Arquivos do blog

Está com sono e vai dirigir? Então repense antes nos riscos e veja as novidades!

23/09/2016 Por:

sono_transitoUma noite de sono mal dormida contribui para desatenção, cansaço e um dia menos produtivo no trabalho. Mas, e quando é preciso dirigir nessas condições? De acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), não aproveitar uma noite de descanso pode reduzir a concentração dos motoristas em até 50%. A sensação de fadiga prejudica os estímulos do corpo, o deixando mais lento para reagir a situações inesperadas, como a necessidade de desviar de um carro parado na via ou de um pedestre atravessando a rua.

Por mais inofensivo que pareça, os riscos de misturar sono com volante são reais e fazem milhares de vítimas todo ano. Segundo a Associação Brasileira do Sono, 30% das mortes em rodovias do país são causadas por condutores que dormem na direção. Para não sofrer com o problema, especialistas reafirmam a necessidade de respeitar o tempo de descanso para o corpo e mente, que geralmente varia entre sete e nove horas por dia, para estar disposto nas horas seguintes.

Quem trabalha dirigindo, como caminhoneiros e taxistas, precisa redobrar a atenção por conta das longas jornadas à frente do volante. Sinais como bocejos frequentes e olhos pesados já servem como indícios de que é preciso parar e descansar para depois seguir viagem. Muitas vezes, esses profissionais recorrem a outros métodos, como grande ingestão de cafeína e até drogas para enganar o sono, mas ainda representam um risco para outros motoristas.

Para diminuir o número de acidentes provocados por esse problema, os condutores podem contar com a tecnologia. O aplicativo para smartphones Android, chamado de HealthyRoad, por exemplo, foi desenvolvido para detectar até mesmo pequenas distrações e sinais de adormecimento ao volante. Utilizando a câmera frontal do celular para analisar o comportamento do motorista, a ferramenta produz avisos sonoros e visuais para acordar o condutor. A tecnologia já foi testada por grandes montadores do mundo e por empresas de carga.

O mercado também já disponibiliza sensores que identificam se o motorista está cansado, mesmo sem sinais muito perceptíveis. Por meio de imagens capturadas por um sistema infravermelho instalado no veículo, a tecnologia conhecida como “Fatigue Safety System Monitor” é capaz de identificar pelo movimento dos olhos um possível cansaço, alertando imediatamente sobre o problema para quem estiver dirigindo. Algumas montadoras de automóveis já investem na produção de caminhões com tecnologia similar instalada, garantindo maior segurança nas estradas.

Não ignore os sinais que o seu corpo emite e escolha salvar vidas no trânsito!

Por um trânsito livre do estresse!

22/09/2016 Por:

Semana Nacional de Trânsito_02Gentileza e educação são características que facilitam muito o dia a dia das pessoas, seja na hora de resolver problemas ou praticar uma boa ação. No trânsito, entretanto, muitas vezes o que se vê são atitudes imprudentes reforçadas pelo estresse e pela falta de paciência, uma combinação perigosa capaz de desencadear acidentes e fazer vítimas diariamente. A Semana Nacional de Trânsito, que acontece até o dia 25 de setembro, traz o tema “Eu sou + 1 por um trânsito + seguro” na expectativa de conscientizar os cidadãos brasileiros sobre os impactos que suas ações podem causar a outras vidas.

De acordo com pesquisa feita pelo International Stress Management Association (Isma-Brasil), os brasileiros precisam ligar o sinal de alerta para o perigo, o que inclui atenção total até nas pequenas atitudes que tomamos diariamente, afinal, segundo o estudo, somos a segunda população mais estressada do mundo. Seja por questões pessoais, no trabalho ou outros motivos, o fato é que o estresse acaba contribuindo para a falta de atenção de motoristas e pedestres, levando a atitudes como fechar outros carros no trânsito, parar o veículo em cima da faixa de pedestres e participar de discussões e brigas desnecessárias.

Outro estudo realizado pela Fundação AAA para Segurança no Trânsito, dos Estados Unidos, aponta que 51% dos condutores colam de propósito no carro da frente, 45% buzinam para demonstrar irritação e 24% bloqueiam outros veículos que tentam mudar de faixa. Por isso, além de ter mais atenção ao dirigir ou caminhar na rua, tenha calma, seja tolerante e não leve pequenas ações para o lado pessoal.

Se você é pedestre, procure respeitar a sinalização, atravessar a rua na faixa e, principalmente, utilizar sempre passarelas quando necessário. Para exercitar mais a gentileza, ajude idosos e pessoas com deficiência visual em sinais de trânsito; se está dirigindo, dê passagem a outro motorista que indica intenção de mudar de faixa; se cometeu um erro, peça desculpas e procure relevar atitudes incoerentes de outras pessoas.

Hoje, vários países estão comemorando o Dia Mundial Sem Carro.  Que tal deixar o carro em casa e fugir um pouco do estresse do trânsito?

Suas ações são capazes de inspirar outras pessoas e reverter o grande número de vidas perdidas no trânsito. Construir mais segurança em ruas e estradas também é responsabilidade de todo cidadão. Pratique a gentileza e transforme o dia de alguém! Afinal, gentileza gera gentileza.

O que o Brasil tem feito para mudar o triste cenário nas ruas e estradas do país?

21/09/2016 Por:

Semana Nacional de Trânsito_03

Acidentes de trânsito estão entre as principais causas de mortes em todo o mundo, tirando a vida de mais de 1,25 milhão de pessoas por ano, segundo levantamento feito em 2015 pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O dado assusta e exige ação de todos para transformar essa triste realidade no trânsito. Com o sinal de alerta ligado para a preocupante situação, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu, em 2011, que trabalharia para contornar o problema junto a diversos países.

Nomeada como a “Década de Ação pela Segurança no Trânsito” – um dos pontos de partida para a Semana Nacional de Trânsito deste ano, celebrada entre os dias 18 e 25 de setembro –, a iniciativa luta para diminuir pela metade o número de ocorrências dessa natureza até 2020, por meio de políticas de segurança. Diversos lugares do mundo têm se dedicado ao Plano Mundial para a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, levando em conta quatro pilares importantes para a transformação necessária: gestão das ações de prevenção e de segurança no trânsito; a segurança nas vias públicas; a segurança e a proteção dos usuários de veículos; a segurança dos usuários das vias mais vulneráveis (pedestres, ciclistas e motociclistas) e o atendimento e socorro às ocorrências.

E o que Brasil vem fazendo para concretizar o comprometeu com essa luta? De acordo com o terceiro informe sobre a atual situação viária no mundo feito pela OMS em 2015, o país é uma das nações que mais vêm se empenhando para mudar a realidade atual do trânsito, cumprindo leis para controlar riscos, como o uso do cinto de segurança, do capacete e da cadeirinha para crianças, bem como a redução do limite de velocidade em áreas consideradas críticas.

Além das regras, os estados brasileiros têm investido em fiscalização mais intensa e em ações educativas sobre a importância da sinalização para ruas mais seguras, o correto uso da faixa de pedestres e o respeito às leis. Mesmo com iniciativas e campanhas, o país continua sofrendo com ocorrências de trânsito e segue com o maior número de acidentes da América do Sul, com o registro de 23,4 por 100 mil habitantes. Em 2009, a taxa era de 19 por 100 mil habitantes.

Os dados servem como alerta para autoridades e população, já que, mesmo com o aumento da colaboração e do engajamento, ainda esbarramos na dificuldade de realizar políticas públicas mais rígidas e eficazes e de investir mais em alternativas sustentáveis de transporte. Países como Finlândia, Luxemburgo e Angola focaram seus esforços na qualificação de meios coletivos e não motorizados, para beneficiar o maior número de pessoas com mais segurança. Nesse sentido, a cidade de São Paulo também tem tentado fazer sua parte, ao incentivar, por exemplo, o uso da bicicleta nas ciclovias construídas nos últimos anos.

A proteção faz parte do cotidiano de pessoas determinadas a não sofrerem com riscos. Mas, além disso, a prudência deve acompanhar motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. Seja consciente e contribua com boas ações no trânsito. Aproveite a Semana Nacional de Trânsito para fazer um balanço das suas atitudes e como o cuidado e o engajamento são determinantes para salvar vidas!

Invalidez Permanente preocupa e vira tema de mais um vídeo do nosso blog para a Semana do Trânsito

20/09/2016 Por:

600X500PX[13]

O tema definido pelo CONTRAN, para a Semana Nacional de Trânsito deste ano é: “Década Mundial de Ações para a Segurança no trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”.

A meta da Década Mundial é reduzir a quantidade de mortes e lesões causadas por acidentes de trânsito em pelo menos 50% em relação a quantidade atual. Segundo a ONU, cerca de 1,3 bilhões de pessoas morreram nas ruas e estradas. Se nada for feito, em 2020 este número será de 1,9 bilhões de mortes.

E se a quantidade de mortes já impressiona, o número de pessoas lesionadas é ainda mais chocante. No Brasil para cada 1 morte, gerada por acidente de trânsito, outras  20 pessoas ficam lesionadas.  O impacto social e econômico destes números é muito grande.

Em 2015, das mais de 650 mil indenizações pagas pelo Seguro DPVAT, 79% foram por invalidez em caráter permanente.

A ação do nosso Blog Viver Seguro no Trânsito deste ano pretende fazer com que as pessoas pensem no que acontecerá se nada for feito. Ou seja, o  que acontecerá se este número não parar de crescer?

Usamos como exemplo um estacionamento. Hoje a lei determina que 2% das vagas devem ser destinadas a deficientes físicos. Mas se a quantidade de pessoas que ficam inválidas em acidentes de trânsito não parar de crescer, em breve este número terá que ser revisto. Foi querendo chamar a atenção para esse futuro preocupante, que criamos um estacionamento e filmamos as reações dos motoristas ao tentarem encontrar uma vaga. E você pode conferir o vídeo do nosso experimento aqui:

Semana Nacional de Trânsito propõe reflexão sobre papel da população para garantir a segurança viária

19/09/2016 Por:

Semana Nacional de Trânsito

Diariamente, muitos acidentes ocorrem em ruas e estradas do Brasil e, para mudar esse cenário, autoridades e cidadãos precisam adotar a consciência de que é preciso cada vez mais responsabilidade no trânsito. Pensando nisso, a Semana Nacional de Trânsito deste ano, que acontece entre os dias 18 e 25 de setembro, traz o tema “Década Mundial de Ações para a Segurança no trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”, no intuito de incentivar condutores e pedestres a se mobilizarem também para realizar a transformação que desejam ver no trânsito.

A contribuição de cada um é fundamental para salvar vidas que muitas vezes são perdidas em consequência de atitudes imprudentes, como falar ao celular, não utilizar o cinto de segurança, misturar álcool e direção ou não respeitar as regras de trânsito, entre outras.

Não à toa, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) escolheu o tema “Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”, principalmente devido aos alarmantes números de acidentes no Brasil, como apontou a Cruz Vermelha no ano passado, afirmando que, anualmente, são 50 mil óbitos por ano e mais de 500 mil lesionados, representando 25 mortes para cada 100 mil habitantes. Se os órgãos de trânsito tentam encontrar soluções para evitar vítimas, seja com campanhas de conscientização como a Semana Nacional de Trânsito ou com ações de fiscalização, a população precisa se esforçar para fazer a diferença.

A campanha deste ano quer trazer condutores e pedestres para fazer parte da mudança, mostrando que além de conscientização, o comprometimento com esse propósito deve fazer parte da rotina de todos. Autoridades de diferentes localidades do país se organizaram para levar ações e informação tanto para motoristas, como ciclistas, pedestres, crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência.

Aproveite a Semana Nacional do Trânsito para refletir sobre o seu papel na construção de um trânsito mais seguro. Se fizermos a nossa parte, já estaremos salvando vidas!

Durante a semana, publicaremos diariamente assuntos que possam contribuir para um trânsito mais pacífico e seguro. Acompanhe! Sua participação é muito importante nessa luta que é de todos nós.

Evite as pequenas e perigosas distrações no trânsito

15/09/2016 Por:

21_05_2015_Celular e maquiagem_distrações perigosas no trânsito

Segundos de distração ao volante podem causar danos para uma vida toda. Além dos problemas já conhecidos por todos, como o uso do celular e o manuseio do CD, rádio ou MP3 player, durante a condução do veículo, muitas ações que podem passar despercebidas representam riscos para os ocupantes do carro e para pedestres, por reduzirem a capacidade de reação dos motoristas a situações adversas. Por mais inocentes que pareçam, comer, fumar, passar maquiagem, usar o celular, entre outras atividades, significam alguns minutos de distância do volante, tanto mental como fisicamente, como, por exemplo, utilizar apenas uma mão para dirigir.

Ao acender um cigarro e alcançar a velocidade de 100 km/h, o condutor perde até dois segundos de atenção e acaba percorrendo 115,9 metros até que consiga parar o carro. Nas mesmas condições, mas trocando uma estação de rádio, por exemplo, o veículo se locomoverá a uma distância de 143,7 metros até conseguir frear. Por exemplo, cinco segundos sem prestar atenção na direção, em uma velocidade média de 60 km/h, equivalem a 80 metros percorridos sem saber o que está acontecendo na pista ou no que se está fazendo. Geralmente são nessas situações que acidentes ocorrem.

De acordo com um estudo norte-americano, realizado com mais de 3,5 mil motoristas e publicado recentemente na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), o maior fator causador de acidentes é a falta de atenção do motorista. Os pesquisadores instalaram câmeras, sensores e radares nos carros dos participantes e constataram que os condutores passam mais da metade do tempo envolvidos com alguma atividade que tira a concentração. Segundo o estudo, 68% das 905 batidas registradas foram causadas por algum tipo de distração.

Retocar a maquiagem no espelho do carro quando estiver à frente do volante também é outra ação imprudente, assim como desentendimentos e conversas cheias de apelos emocionais, que podem desconcentrar o condutor do carro. Evite ouvir músicas em volume muito alto, pois isso atrapalha, inclusive, na identificação de problemas com o veículo. Direção exige uma mente descansada para alcançar a concentração necessária. Nunca use o celular ao dirigir. Em caso de ligações urgentes, procure um local seguro para estacionar. O viva voz também não ameniza as distrações e, na verdade, é capaz de tomar 40% da atenção que precisa ser dedicada à direção.

Todos nós já cometemos algumas dessas pequenas distrações no trânsito. Por mais simples e sem importância que essas atitudes pareçam, na verdade, são perigosas, pois representam riscos de acidentes.

Mãos sempre ao volante e mais atenção no trânsito!

Vem aí a Semana Nacional do Trânsito! Assista às nossas campanhas de conscientização

12/09/2016 Por:

dpvat_snt

A Semana Nacional do Trânsito acontece sempre no período de 18 a 25 de setembro. Este ano, o tema definido pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) é: “Década Mundial de Ações para a Segurança no trânsito – 2011/2020Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”.

Enquanto a Semana do Trânsito de 2016 não começa, convidamos nossos leitores para assistir às principais campanhas de conscientização que lançamos em edições passadas. Um convite para refletirmos juntos. Afinal, mudar é preciso!

2015 – Tema: “Seja você a mudança no Trânsito”- Lançamos o vídeo A Guerra do Trânsito com objetivo de alertar para a violência no trânsito brasileiro, que apresenta números superiores a guerras! A campanha, com apelo ao humor, levou para as ruas de Curitiba um tanque de guerra conduzido por um ator, que interpreta um cidadão  que construiu seu próprio tanque para se proteger da violência no trânsito e usa como carro da família, uma atitude extrema.

2014 – Tema: Cidade para as pessoas – proteção e prioridade ao pedestre – Lançamos o vídeo Direção Agressiva, onde um ator se passa por instrutor que tenta ensinar seus alunos a dirigir agressivamente, fazendo absurdos no trânsito, em situações que mostram principalmente o desrespeito ao pedestre, situação comum no trânsito. A campanha, com apelo ao humor, estimula nossa reflexão por meio do questionamento: “Se você não aprendeu assim, por que é assim que você faz?”

2012 – Tema: Não Exceda a Velocidade. Preserve a Vida!” – Lançamos o vídeo A História de Talia, num formato interativo do Youtube que dá a possibilidade do internauta escolher o final. A campanha, com apelo emocional, tem como objetivo principal alertar os jovens sobre os riscos da velocidade na direção, entre outros excessos que cometem com frequência, como combinar álcool e direção,  causas de acidentes com mortes.

Mais de 17% dos atletas paralímpicos brasileiros foram vítimas de acidentes de trânsito

08/09/2016 Por:
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Os Jogos Paralímpicos são um dos grandes exemplos de que o esporte é um dos caminhos para continuar uma jornada de muita superação e força de vontade. São atletas fazendo história na competição e mostrando que dificuldades não são empecilhos para alcançar belas vitórias.

No entanto, um levantamento recente feito pela Agência Brasil com base em dados fornecidos pelo Comitê Paralímpico Brasileiro mostra que 49 dos 285 (17,19%) atletas paralímpicos brasileiros na disputa deste ano foram vítimas de algum tipo de acidente de trânsito.

Os dados são preocupantes e servem como alerta para a violência no trânsito, que diariamente registra ocorrências com mortos, pessoas com sequelas ou invalidez permanente. De acordo com informações da Seguradora Líder-DPVAT, os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em 2015 (79%) de um total de 652.349.

A maior parte dos acidentes de 2015, que deixou alguma sequela permanente, aconteceu com motociclistas, representando 91% das indenizações. Os jovens precisam ter mais atenção na hora de conduzir um veículo, já que no mesmo período, pessoas entre 18 e 34 anos foram as maiores vítimas com sequelas, com 52%  dos pagamentos.

Prudência nunca é demais no trânsito, assim como o respeito de quem está à frente da direção aos pedestres e a outros condutores. Por estarem mais expostos que motoristas de caminhões e carros, os motociclistas precisam ter atenção redobrada e nunca esquecer os equipamentos de proteção, como capacetes, luvas, calça e casacos apropriados. Com esse cuidado especial, é possível minimizar batidas, quedas e, consequentemente, sequelas permanentes.

Os Jogos Paralímpicos acontecem até o dia 18 de setembro, no Rio de Janeiro, onde poderemos acompanhar nossos atletas brilharem em mais uma edição do evento, colecionando medalhas e mostrando que superação e sucesso andam juntos! Boa sorte a todos os vitoriosos da delegação brasileira!

 

Dados revelam que falta de atenção no trânsito pode matar!

05/09/2016 Por:

estrada

Respeito, prudência e atenção são atitudes capazes de poupar milhares de vidas no trânsito, ainda mais no atual cenário nacional, que exige da sociedade profunda reflexão sobre hábitos e comportamentos à frente do volante e ao circular a pé pelas ruas. Um estudo feito pelo governo de São Paulo retrata bem a realidade em termos de segurança nas estradas: 94% das mortes no trânsito no estado acontecem por falha humana.

A conclusão assusta, mas é um dado importante para que todos analisem que a segurança no trânsito depende das próprias ações e cuidados, como maior cautela ao dirigir ou até mesmo atravessar uma rua. A revista norte-americana Proceeding of the National Academy of Sciencesconstatou recentemente que 68% das ocorrências no trânsito acontecem justamente pela falta de atenção, já que em mais da metade do tempo os condutores estão envolvidos em outras atividades que afetam a concentração.

A mobilização em mudar essa triste constatação deve ser de todos, individualmente e como nação. O estado de São Paulo, por exemplo, criou há um ano o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito para ajudar o estado a reduzir pela metade o número de acidentes até 2020. Para isso, o governo deve investir R$ 22 milhões em segurança viária, ampliando convênios com municípios.

Só na capital paulista, as multas que mais foram aplicadas no primeiro semestre de 2015 demonstram o quanto a falta de atenção e a imprudência precisam ser reavaliadas pelos brasileiros: dirigir em alta velocidade foi o erro mais cometido, com cerca de 1,46 milhão de penalizações; avanço do sinal vermelho ficou em sexto lugar, com cerca de 87 mil multas; e parar em cima da faixa de pedestre provocou cerca de 30 mil penas.

Pelas tantas vítimas que o trânsito faz diariamente, é preciso se questionar: vale mesmo a pena dar mais atenção ao celular, a mensagens e a brincadeiras que exigem mais do condutor do que prestar atenção no trânsito e preservar a vida ? Vamos levar atitudes mais conscientes para as ruas e ser a mudança que o trânsito precisa!