Arquivos do blog

DPVAT indeniza mais de 216 mil casos de acidente no 1º semestre de 2012

27/08/2012 Por:

Homens, motoristas, com idades entre 25 e 34 anos. Esse é o perfil da maioria das vítimas de acidentes de trânsito no Brasil indenizadas pelo Seguro DPVAT no primeiro semestre de 2012. Só neste semestre, 216 mil indenizações foram pagas a pedestres, motoristas e passageiros em todo o Brasil, um aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado. A maioria dos casos indenizados, 142.998 (66%), resultou em invalidez permanente da vítima. Outras 29.770 pessoas morreram após envolvimento em acidentes de trânsito e 43.382 reembolsos de despesas médicas e hospitalares foram pagos para casos menos graves.

Por categoria de veículo, acidentes com motocicletas representaram 69% das indenizações, e acidentes com automóveis, 25%. Os demais casos foram referentes às categorias caminhão, ônibus e micro-ônibus.  Apesar de os motoristas representarem 59% das indenizações, seguidos pelos pedestres (24%) e passageiros (17%), esse panorama muda se observada a acidentalidade dos envolvidos por categoria de veículo.

“O motociclista, naturalmente mais suscetível, é a grande vítima das motos. Já os pedestres são mais atingidos por carros, caminhões e ônibus”, afirma o diretor-presidente da Seguradora Líder DPVAT, Ricardo Xavier.

Programa “Acorda Motorista” conscientiza caminhoneiros de São Paulo

23/08/2012 Por:

A CCR SPVias, em parceria com a Polícia Militar Rodoviária, realizou, entre os dias 10 e 14 de agosto, o programa educativo “Acorda Motorista”, nas Rodovias Raposo Tavares, em Alambari, Castello Branco, em Tatuí e João Mellão, em Avaré. O objetivo foi alertar os caminhoneiros que trafegam pelas vias sobre os riscos de dirigir cansado ou por muitas horas. Esta preocupação é gerada pelos altos índices de acidente a partir do entardecer, quando a visibilidade é prejudicada e o sono um fator agravante.

Os motoristas receberam materiais educativos e informações sobre a lei 12619, que define a jornada de trabalho e o descanso semanal do caminhoneiro. Além disso, tiveram a pressão arterial aferida e ainda puderam saborear um café com bolachas. Os participantes também aprenderam exercícios de ginástica laboral, que podem ser praticados com o auxílio do caminhão.

O programa “Acorda Motorista” faz parte do PRA (Programa de Redução de Acidentes) da CCR SPVias, que é responsável pela administração e operação de 516 quilômetros de rodovias paulistas.

Brat poderá ser retirado pela internet

20/08/2012 Por:

A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com o Sindicato das Seguradoras do Rio, está desenvolvendo um sistema para que o Boletim de Registro de Acidente de Trânsito (Brat) seja obtido pela internet. O documento só poderá ser requisitado online por motoristas que se envolverem em acidentes sem vítimas. A previsão é que a operação entre em funcionamento no fim deste ano.

De acordo com a PM, a mudança tem dois objetivos: evitar que carros envolvidos em acidentes atrapalhem o trânsito e que viaturas destinadas ao policiamento e ao atendimento de ocorrências mais graves não fiquem retidas em ocorrências de trânsito. Essa medida trará mais dinamismo no serviço de acesso a esse registro.

Para o tenente-coronel Paulo Cabral, do Centro de Comunicação da Polícia Militar, o maior beneficiado pela novidade será o cidadão. “A ideia é fazer um sistema simples, com passo a passo, para que qualquer pessoa possa utilizar. Antes, a pessoa tinha que ir à delegacia e pedir cópia do documento. Com esse sistema, o motorista fará tudo pela internet: preencherá as informações requisitadas e até enviará a foto pelo celular, que servirá como prova. Depois de validado, o Brat poderá ser impresso pelo cidadão”, disse o tenente-coronel.

Ciclistas unidos pela segurança no trânsito

16/08/2012 Por:

Os riscos para quem pedala nas ruas de uma cidade são muitos. Mas, em grupo, eles ficam um pouco menores. Para garantir a segurança no trânsito, dois ciclistas de São Paulo resolveram organizar um comboio de bikes para ir e voltar do trabalho.

A proposta ganhou o nome “BikeBus”, que traduz bem a ideia: fazer um trajeto predefinido todos os dias, em horários determinados, como uma linha de ônibus. A iniciativa já acontece em Sydney (Austrália), West Yorkshire e Kingston (Reino Unido), Toulouse (França) e Orlando (EUA). Em São Paulo, houve uma experiência de um dia, no Dia Mundial Sem Carro, em setembro de 2011, com várias rotas pela cidade.

Quem lidera o “BikeBus” são os engenheiros civis Rafael Stucchi e Tom Buser. O trajeto escolhido pela dupla foi Pinheiros-Vila Olímpia. “O comboio inspira mais segurança. Acho que um carro fica mais atento quando vê um grupo de bikes”, diz Rafael. “Muita gente não tem coragem de ir sozinha pedalando.”

Que tal então ir para o trabalho de bike?  Mas verifique antes as condições de sua bicicleta, fique atento à sinalização no trânsito  e pedale com segurança, não abrindo mão do capacete e também do colete de proteção.

Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), São Paulo tem hoje 182,7 km de vias para ciclistas. Destas, somente 54,4 km são separadas fisicamente do restante do trânsito e de uso exclusivo de bicicletas.

Fonte: Folha de São Paulo

Qual o melhor calçado para dirigir

13/08/2012 Por:


Quando se trata de direção e trânsito, até o calçado utilizado pelo motorista deve ser escolhido com cuidado. Um sapato que não ofereça conforto e segurança ao condutor pode comprometer seriamente a segurança do trânsito.

O artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é bem claro: é proibido dirigir usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa o uso dos pedais, como chinelo de dedo, tamancos ou outro calçado que não tenha as tiras presas atrás dos calcanhares. Quem é pego dirigindo de chinelos recebe 4 pontos na carteira de habilitação, além de uma multa de R$ 85,13.

Muitos têm o hábito de guiar o automóvel descalço, o que embora não tenha objeção direta pelo CTB, não é uma prática recomendável. O ideal é que o calçado tenha um solado fino e que não saia do pé, não escorregue e permita ao motorista sentir bem os pedais. Até mesmo os cadarços de tênis merecem atenção, devendo estar sempre bem amarrados.  Para mulheres, é importante frisar que saltos altos não são os mais adequados para o momento, podendo atrapalhar o movimento dos pés. Nesses casos, dê preferência a modelos tipo mocassins e sapatilhas.

Lembre-se que seguindo as recomendações, além de contribuir por um trânsito sem acidentes, você ainda pode evitar dores e lesões nos pés e tornozelos.

Terceira idade e direção

09/08/2012 Por:

A legislação brasileira não determina qual é a idade máxima para uma pessoa continuar conduzindo um veículo. Mas esse é um assunto que merece bastante atenção. Se por um lado devemos respeitar o direito de ir e vir e de ser independente em qualquer idade, por outro precisamos ficar atentos ao menor sinal que possa colocar em risco a segurança do condutor e das demais pessoas que utilizam as vias.

O número de idosos no Brasil vem crescendo exponencialmente. Com o passar dos anos, surgem algumas limitações naturais para o ser humano. E isso pode gerar insegurança por parte dos idosos que gostariam de continuar dirigindo. Para superar o medo, existem alternativas como os centros de treinamento para habilitados, que realizam atividades que ajudam a recuperar a confiança nos movimentos e ensinam a perceber os sinais que indicam que dirigir sozinho já pode estar se tornando uma atividade arriscada.

A partir dos 65 anos de idade, a renovação da CNH deve ser feita de três em três anos, para que sejam avaliados com mais frequência os fatores de risco, como a coordenação motora, possíveis problemas cardiovasculares ou de pressão e a visão e memória. O ideal, porém, é que o idoso tenha check up regular, não só para evitar problemas no trânsito, mas também para garantir uma vida saudável na terceira idade.

Lembrando que no próximo domingo é Dia dos Pais, vamos aproveitar para comemorar esse dia, acima de tudo, respeitando a decisão de nossos queridos “velhinhos” de continuar na direção de seus veículos, se não houver nenhum problema clínico. E lembrar que a educação no trânsito deve acontecer em todas as idades e que a segurança deve estar sempre em primeiro lugar.

Feliz Dia dos Pais!

 

Livro “Alcoolismo – a doença da negação”

06/08/2012 Por:

Conduzir um veículo sob o efeito de bebidas alcoólicas é extremamente perigoso, tanto para o condutor, quanto para as demais pessoas que utilizam as vias, além de ser considerado uma infração de trânsito. E, apesar disso, ainda há um alto índice de acidentes causados por condutores embriagados.

Mas alguns desses condutores podem estar passando por um problema muito grave: o alcoolismo. Lançado recentemente pela editora Lacre, o livro “Alcoolismo – a doença da negação”, de Claudio Leite, traz um corajoso relato sobre o problema e expõe outros aspectos como a dependência dos familiares. Claudio, que foi o mais importante cirurgião pediátrico do Brasil entre 1970 a 1990, relata como o álcool se infiltrou silenciosamente em seu cotidiano, como lidou com o vício durante toda a vida adulta e como conseguiu, há 15 anos, com a ajuda do AA (Alcoólicos Anônimos), controlar a doença e recuperar sua liberdade.

O livro pode ser encontrado em livrarias, no valor de R$ 30,00, ou pelo contato: contato@editoralacre.com.br

O leitor que realizar a compra direto com a editora ganha um desconto de R$ 7,00.

Mulheres grávidas ao volante

02/08/2012 Por:

Existe muita discussão em torno da questão da segurança de mulheres grávidas ao volante. O antigo Código de Trânsito brasileiro recomendava a direção veicular para gestantes somente até o quinto mês de gestação, mas o atual não faz nenhuma restrição, deixando a critério do médico que acompanha a gravidez.

De acordo com alguns especialistas, principalmente quando a gestante for motorista profissional, a atenção deve ser redobrada. As condições do trânsito, como barulho, a vibração do veículo e o estresse, exigem um maior monitoramento da saúde da mãe e do bebê.

Para as demais gestantes que precisam dirigir seus veículos e não têm nenhuma restrição médica, existem algumas dicas:

– Não deixe de usar o cinto de segurança! Ele deve ser ajustado para que não fique sobre a barriga. A faixa diagonal deve passar no meio do ombro, depois entre os seios e ficar lateralmente ao abdômen. E a faixa inferior deve ficar abaixo da barriga;

– O acesso aos pedais deve ser bastante cômodo, com a máxima distância possível entre a barriga e o volante, e que permitam a direção segura e eficiente;

– Não dirija se estiver com tonturas, vômitos e enjôos.

O importante é que a gestante esteja bem e confiante o suficiente e que busque orientação médica sempre que surgir alguma dúvida!