Preocupe-se com o motorista de ônibus: sua vida está nas mãos dele

09/11/2017 Por:

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

Você já parou para pensar que a segurança de milhões de brasileiros que viajam pelas rodovias e áreas urbanas, está nas mãos dos motoristas de ônibus?

Por isso, quando for viajar, procure saber se o motorista descansou apropriadamente, já que, muitas vezes, eles trabalham em excesso de jornada. Também é importante demonstrar interesse pelo profissional, respeitando suas orientações através de pequenas atitudes, como quando ele pedir para afivelar o cinto de segurança no ônibus, por exemplo.

É importante também ficar de olho na velocidade. Na maioria dos casos, a pressa não é do motorista, mas da empresa que o pressiona para cumprir horários que praticamente o obrigam a andar acima do limite. Caso você perceba que essa situação está ocorrendo, reclame com o órgão responsável pela linha de ônibus: eles podem verificar a velocidade pelo tacógrafo, uma espécie de caixa preta dos transportes.

No caso de acidentes, vale lembrar que os passageiros estão protegidos pelo Seguro DPVAT, mas a empresa de ônibus também tem a obrigação de estar em dia com este Seguro. Quando a empresa não cuida do motorista, costuma também ser irresponsável com o Seguro.

Durante paradas em longos trajetos, respeite o tempo para o lanche para não atrasar a viagem e colaborar para que o motorista fique tenso. Na hora da chegada, agradeça, afinal, você chegou em segurança, graças a esse profissional que merece todo o nosso respeito.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.

Projeto inovador tornará o pagamento de indenizações por acidentes de trânsito mais ágil na Espanha

07/11/2017 Por:

Em setembro, o Governo da Espanha anunciou a criação de uma plataforma digital que tornará mais ágil as negociações entre advogados e seguradoras. O objetivo do projeto é acelerar o pagamento de indenizações às vítimas de acidentes de trânsito e seus familiares. Bem bacana, não é mesmo? 🙂

Essa iniciativa foi coordenada pelo Consejo General de la Abogacía Española, órgão nacional espanhol de representação dos advogados, e pela Unespa, entidade que há 40 anos representa os interesses das maiores seguradoras espanholas. A novidade entra em operação logo no comecinho do ano que vem.

A tecnologia é uma ferramenta essencial desse projeto, já que todas as transações serão online e não haverá envio de documentos impressos ou xerocados. Ainda sem um nome específico, a plataforma vai atender a uma demanda cada vez mais estimulada pelo Governo Espanhol: a resolução rápida das questões entre consumidores e empresas. Os especialistas responsáveis pelo projeto afirmam que as indenizações serão pagas com muito mais agilidade e em menor prazo.

Mas o que esse projeto tem a ver com atuação da Seguradora Líder-DPVAT no território brasileiro? Ao garantir cobertura a todo cidadão em casos de acidentes de trânsito, através do Seguro DPVAT, a Seguradora Líder também presta um serviço rápido e de fácil acesso aos beneficiários, com um processo de solicitação que dispensa a necessidade de intermediários.

Hoje, algumas etapas da prestação de serviços da Seguradora Líder-DPVAT já são digitalizadas. A entrega da documentação de solicitação das indenizações é feita em postos autorizados – agências dos Correios, pontos de atendimento da seguradora ou de empresas parceiras – em todo o país. Já o acompanhamento do processo pode ser feito pelo site da seguradora, seja via celular, tablet ou computador. O projeto espanhol, dessa forma, é inovador, mas não inédito, uma vez que sistema de pagamento do Seguro DPVAT foi desenhado justamente para dar agilidade e presteza no atendimento.

No Brasil, a atuação da Seguradora Líder-DPVAT ainda vai além, ao possibilitar a formação de um banco de dados sobre o trânsito nacional, com a indicação dos tipos de acidentes mais comuns, as regiões com os piores índices, o perfil dos acidentados, os horários mais arriscados. Todas essas informações geram subsídios para a formulação de políticas públicas de prevenção de acidentes e para a construção de um trânsito mais seguro. Por aqui, temos muito orgulho disso!

E você, conhece algum outro exemplo de ação para beneficiar as vítimas de trânsito pelo mundo? Compartilhe com a gente aqui nos comentários! 😉

Ciclista também tem que respeitar as leis do trânsito

06/11/2017 Por:

Por Rodolfo Rizzotto, Coordenador do SOS Estradas

Andar de bicicleta é uma delícia, não é mesmo? Mas essa atividade tão prazerosa exige cuidado e respeito às leis de trânsito. O ciclista deve sempre respeitar a sinalização, além de circular na mão correta de direção, uma vez que a bicicleta também é um veículo.

Pela lei, os ciclistas devem utilizar ciclofaixas, ciclovias e acostamentos. Na ausência de qualquer uma delas, devem andar no canto direito da pista, no sentido dos demais veículos.

Para evitar colisões, é necessário que os ciclistas tenham muita atenção e sinalizem com as mãos sua intenção de realizar alguma manobra. O papel dos motoristas é igualmente importante: estes devem manter distância lateral de ao menos 1,5 m da bicicleta e reduzir a velocidade sempre que passar pelos ciclistas, procurando sempre respeitar a sinalização das faixas destinadas a eles. Vale lembrar que, entre ciclistas e pedestres, o pedestre tem sempre a preferência.

Medidas de segurança, como utilizar o capacete, também são igualmente importantes e podem reduzir em até 90% o risco de um traumatismo craniano em quedas. Lembrando que, em casos de acidentes de trânsito, os ciclistas também têm direito ao Seguro DPVAT.

Gostou do artigo? Clique aqui para conhecer o site do SOS Estradas, um programa que visa reduzir os acidentes e aumentar a segurança nas rodovias.

Conheça bons exemplos de políticas para redução de acidentes no trânsito

02/11/2017 Por:

Em março de 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. Essa resolução foi baseada em um estudo que mostrava que, somente em 2009, cerca de 1,3 milhões de pessoas morreram por conta de acidentes no trânsito em 178 países. Diante desse fato, a entidade recomendou aos países membros uma meta de redução pela metade nos números de mortes no trânsito. Muitos países vêm adotando políticas para reduzir esses números e separamos para você alguns bons exemplos. 😉

Até 2003, o México vivia uma verdadeira epidemia de mortes causadas por acidentes automobilísticos. 60% deles tinham como motivação principal motoristas alcoolizados. A partir deste ano, a tolerância de álcool passou a ser de 0,40 para condutores habilitados em veículos particulares e 0 para motoristas profissionais. Lá, a sanção sofrida para quem é pego dirigindo embriagado é prisão pelo período de 20 a 36 horas. O objetivo é retirar de circulação o motorista alcoolizado, protegendo a sua própria vida e também a dos outros. O resultado foi positivo: em 14 anos, eles conseguiram reduzir pela metade o número de mortos e feridos, se antecipando à ocorrência de acidentes em todo o país.

Mas a trilha do sucesso no México não foi tão simples. Para obter sucesso, o programa contou com amplo apoio da sociedade, além de amparo jurídico. Operações de fiscalização são feitas diariamente sem a divulgação na internet dos locais onde estão acontecendo. Se o cidadão se recusar a soprar no bafômetro, ele é levado para o juiz, que ouvirá e aplicará a sentença necessária.

Falando de bons exemplos, no Brasil, a Lei Seca é um deles e vem ajudando o país a reduzir o número de acidentes no trânsito. No entanto, ainda há muito a ser feito: nosso país ainda aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes deste segmento, atrás da Índia, China, EUA e Rússia. Segundo o Ministério da Saúde, falecimentos decorrentes de acidentes de trânsito caiaram mais de 11% no Brasil em 2015. Os números da Seguradora Líder-DPVAT também vêm confirmando essa tendência, mas ainda estamos muito longes de reduzir pela metade o volume de falecimentos.

Você tem alguma ideia para acabar com os acidentes de trânsito no Brasil? Compartilhe com a gente!

No RJ, boleto do Seguro DPVAT será emitido no site da Seguradora Líder

27/10/2017 Por:

Desde o dia 24 de outubro, a nova Lei Estadual 7.718/2017 permite aos proprietários de veículos automotores do Estado do Rio de Janeiro o agendamento da vistoria do Detran, sem necessidade do pagamento do IPVA. No entanto, para o agendamento do licenciamento anual e a emissão do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), o cidadão precisa fazer o pagamento do DPVAT, o Seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre. Por conta da mudança trazida pela nova Lei, o boleto referente ao Seguro DPVAT deverá ser gerado diretamente no site da Seguradora Líder-DPVAT neste link.

A emissão está disponível para todas as categorias de veículos: automóveis, (particulares e de aluguel), ônibus, micro-ônibus, vans, ciclomotores, motocicletas, caminhões e pick-ups. Somente após o pagamento das taxas do Detran, do Seguro DPVAT e das multas, o cidadão deverá fazer o agendamento do seu serviço no site do Detran. Como já são realizadas atualmente, as marcações são feitas após a compensação do pagamento do serviço.

Abaixo, a gente preparou algumas perguntas e respostas com eventuais dúvidas que possam surgir. Confira!

– Como o proprietário do veículo saberá qual a data limite para o pagamento do Seguro DPVAT?

Não há data limite e o pagamento pode ser realizado a qualquer momento. Na guia de arrecadação do DPVAT constam informações sobre pagamentos feitos após a data de vencimento do Seguro, que é coincidente com a primeira cota ou a cota única do IPVA, ou até o licenciamento, no caso de veículos isentos do referido imposto. Todas essas regras estão regulamentadas na Resolução CNSP nº 332/2015.

– O que vai mudar na hora de quitar o Seguro DPVAT para o proprietário de veículo automotor?

Antes, para os proprietários das categorias 1, 2 e 10 (automóveis, particular e de aluguel, caminhões e pick-ups), a cobrança do Seguro DPVAT já estava incluída na Guia de Recolhimento de Débitos (GRD), emitida através do site do Banco Bradesco. Agora, o DPVAT deverá ser quitado separadamente, através de guia gerada no nosso site. É importante reforçar, ainda, que a quitação do DPVAT do exercício atual e anterior continua a ser exigência para o agendamento e a renovação do licenciamento anual e da respectiva emissão do CRLV.

– Quanto tempo demora para o pagamento ser processado?

O pagamento é processado e a informação da baixa do pagamento enviada para o DETRAN-RJ geralmente em até 48 horas, dependendo do banco arrecadador.

Vale lembrar que esta pequena mudança está valendo apenas no Rio de Janeiro. Nos outros estados, continua tudo igualzinho. Para saber quanto, quando e onde pagar nas demais regiões, clique aqui.

Se você tiver qualquer outra dúvida, a gente responde aqui nos comentários, ok?!