10/10/2017 Por:

Quase 400 crianças de até 7 anos foram vítimas de trânsito em agosto

O Dia das crianças está chegando e como o assunto do blog é segurança no trânsito, não poderíamos deixar de falar sobre os pequenos. A notícia é triste, mas vale como alerta: em agosto deste ano, 380 crianças de 0 a 7 anos foram vítimas do trânsito, em casos de reembolso de despesas médicas, invalidez permanente e morte. Os dados estatísticos da Seguradora Líder-DPVAT, que administra o Seguro DPVAT, revelam que na faixa etária subsequente é maior a proporção de acidentes. Entre o público de 8 a 17 anos, foram 1.403 indenizações pagas no período. As duas faixas etárias juntas correspondem a 5% do total de indenizados.

Quando olhamos para os nossos jovens adultos, entre 18 e 24 anos, vemos que foram 8.110 sinistros quitados no período, número que corresponde a 21% do total. Isso é bastante grave, não é mesmo?!

Mas a gente acredita que pode mudar essa estatística disseminando boa informação. Por isso, a lista de dicas de hoje é dedicada à segurança das crianças.

No carro:

>>>  Bebês de até um ano de idade devem usar bebê conforto, no banco de trás e virado para trás.

>>> entre um e quatro anos, devem usar cadeirinha.

>>> a partir dos quatro, é obrigatório o uso de assento elevação. Os pequenos devem usá-lo até sete anos e meio.

>>> dos sete anos e meio até os 10 anos, as crianças sentam no banco de trás, com o cinto de segurança do próprio veículo.

>>> Depois de 10 anos, podem sentar na frente com o cinto.

Táxi e carona

>>> Em táxis ou em carros de serviço de transporte, a legislação permite que a criança seja levada no colo. Mas os pais podem levar o bebê conforto e a cadeirinha para que percurso seja feito de forma segura para eles.

Na moto

>>> Atenção, papais! Crianças com idade inferior a 8 anos não podem ser transportadas em motocicletas.

Se a criança for maior de 8 anos, elas devem:

>>> ser levadas na garupa, atrás do condutor;

>>> usar capacete ajustado ao tamanho da sua cabeça e que seja atestado pelo Inmetro;

>>>  usar jaqueta, calça e um calçado fechado (tênis, sapatos ou botas);

>>>  existem coletes e cintos que prendem as crianças ao condutor das motos. Esse não é um artigo obrigatório, mas pode evitar acidentes em casos de sonolência ou desequilíbrio.

Nos ônibus urbanos

>>> O jeito mais seguro de transportar seu bebê em um coletivo urbano é carregando ele no colo.

>>> Dê preferência aos bancos reservados para mães com bebê de colo, idosos, obesos e deficientes físicos.

Nos ônibus intermunicipais ou interestaduais

>>> O jeito mais seguro de levar a criança é comprando um assento para ela. Os menores podem ser colocados no bebê conforto preso ao cinto de segurança do banco.

>>> Se a criança for um pouco maior e ocupar um assento, garanta que ela use o cinto de segurança do banco do ônibus.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *