Arquivos mensais: abril 2016

Primeiros socorros: o que fazer quando acontece um acidente?

28/04/2016 Por:

breakdown-984812_1920

Os primeiros socorros são aqueles cuidados iniciais que devem ser tomados quando acontece um acidente de trânsito. Eles podem ajudar a salvar vidas, mas, por outro lado, é preciso ter muito cuidado no contato com as vítimas para não piorar a condição em que se encontram.

Se você presenciou ou sofreu um acidente, primeiro procure manter a calma. Ações desesperadas e impulsivas podem agravar a situação. Respire fundo, coloque os pensamentos em ordem e chame o socorro profissional.

Veja, abaixo, mais algumas dicas sobre como prestar os primeiros socorros:

– Sinalize o local do acidente para evitar novas ocorrências;

– O atendimento à vítima é limitado. Se ela estiver consciente, tente mantê-la calma, explique o que aconteceu e ouça o que ela tem pra dizer;

– Se perceber que o cinto de segurança está dificultando a respiração dela – somente neste caso – tente soltá-lo, mas sem movimentar o corpo da pessoa;

– Jamais tente remover ou movimentar o acidentado e nem retirar o capacete, se ele for um motociclista;

– Em nenhuma hipótese forneça líquidos para a vítima beber;

– Se perceber uma hemorragia externa, você pode comprimir o ferimento usando uma gaze limpa. Utilize luvas para sua proteção. Mas só faça isso se o machucado estiver acessível e se não for necessário movimentar a vítima;

– Caso ela tenha conseguido sair do veículo, procure um local seguro para aguardar o atendimento profissional.

Lista das cidades mais engarrafadas do mundo tem três capitais brasileiras

25/04/2016 Por:

auto-736794_1920

De acordo com um estudo da empresa holandesa de tecnologia de transporte TomTom, o Brasil possui três capitais na lista das 10 cidades mais engarrafadas do mundo. Nesse ranking, o Rio de Janeiro aparece em 4°, atrás de Cidade do México, Bangcoc e Istambul, nessa ordem. Já Salvador figura na 7° posição e Recife, em 8°.

Segundo o levantamento, divulgado pelo site da revista Veja Rio, os cariocas perderam, em 2015, 165 horas da vida em congestionamentos – 66 horas a mais na comparação com 2014. Já em Salvador, esse número chegou a 60 horas extras nos trajetos – 67 horas a mais em relação a 2014.

A pesquisa é realizada com base no Índice de Nível de Congestionamento, que calcula o tempo adicional (em porcentual) que o motorista levará no trânsito em comparação com uma situação em que não há engarrafamento.

Veja abaixo o porcentual de tempo extra que os motoristas gastam no trânsito nas capitais que foram analisadas pela TomTom:

  • Rio de Janeiro: 47%
  • Salvador: 43%
  • Recife: 43%
  • Fortaleza: 33%
  • São Paulo: 29%
  • Belo Horizonte: 27%
  • Porto Alegre: 22%
  • Brasília: 19%
  • Curitiba: 18%

Viaje com segurança no Feriado de Tiradentes. Liberdade com responsabilidade!

20/04/2016 Por:

dpvat

Liberdade é tudo de bom na hora de viajar: poder escolher o destino e colocar o pé na estrada. Mas a prudência no trânsito pode fazer toda a diferença para quem vai aproveitar esse feriado de Tiradentes. Primeiro é importante realizar uma revisão no veículo para não ser pego de surpresa com algum problema mecânico. Depois, já comece a viagem praticando a direção defensiva e contribuindo para que a circulação nas estradas seja feita da maneira mais tranquila possível.

Planejar o roteiro também é importante, pois ajuda a minimizar o risco de imprevistos. Se você já sabe que o percurso será longo, durma bem no dia anterior e preveja pontos de parada para descansar o corpo, ir ao banheiro e comer alguma coisa. Evite sentar com uma postura muito relaxada e consumir alimentos pesados, pois esses fatores facilitam a chegada do sono. Além disso, confira a previsão do tempo para saber se é possível que você pegue chuva ou neblina durante o trajeto. Nessas condições, em que a visibilidade fica comprometida, é preciso redobrar a atenção e dirigir com mais cautela ainda.

Respeitar as leis de trânsito e os limites de velocidade é essencial. Essas regras são estabelecidas de acordo com estudos realizados em cada rodovia e não estão ali por acaso. Nunca achamos que um acidente pode acontecer com a gente, mas, ao menor descuido, uma fatalidade pode ocorrer.

O cinto de segurança é obrigatório para todos os ocupantes do veículo, até no banco de trás. Nada de viajar deitado ou sentado de lado, por mais confortáveis que essas posições pareçam. Sentar-se corretamente e com o cinto é, com certeza, o modo mais seguro e, no final, é isso o que mais importa. Crianças menores de sete anos também precisam estar obrigatoriamente usando os dispositivos de segurança adequados para a idade.

Sobre consumir bebida alcoólica e dirigir, todos sabem, mas não custa lembrar: não faça em hipótese nenhuma! Além de ser proibido por lei, é uma questão importantíssima de segurança, pois o álcool, mesmo em pouca quantidade, pode diminuir os reflexos do condutor, colocando a sua vida e de sua família em risco.

Aproveite o feriado e viaje com segurança. E lembre-se da nossa principal dica: liberdade sempre com responsabilidade!

Casos de alcoolemia serão julgados com mais rapidez em São Paulo

18/04/2016 Por:
Lei Seca2

Para acelerar o julgamento dos motoristas que são flagrados dirigindo sob efeito de álcool ou outras substâncias psicoativas ou daqueles que se recusam a realizar o teste do bafômetro, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran SP) criou a 2ª Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari).

A iniciativa dobra a capacidade de julgar os recursos de multas ou a suspensão e a cassação do direito de dirigir dos motoristas autuados pela Lei Seca no perímetro urbano do Estado de São Paulo.

Em novembro de 2015, o Detran SP criou a 1ª Jari de Alcoolemia e Substâncias Psicoativas em uma ação pioneira no país, concentrando os julgamentos de casos relacionados ao tema nesta junta. Até fevereiro de 2016, foram analisados 1.577 recursos, uma média de 400 casos por mês. Antes da centralização, eram cerca de 380 julgamentos mensais e o objetivo é que a 2ª Jari agilize ainda mais esse processo.

De acordo com a nova Lei Seca, o motorista que for flagrado dirigindo sob efeito de álcool ou outras drogas psicoativas recebe multa de R$ 1.915,40 e responde pelo processo de suspensão do direito de dirigir pelo período de um ano. O mesmo ocorre para aqueles que se recusam a fazer o teste do bafômetro.

Se for constatada a embriaguez com uma quantidade superior a 0,33 miligrama de álcool por litro de ar expelido ou por exame clínico, o condutor também pode responder por crime de trânsito.

Quem for autuado pela Lei Seca tem direito à defesa em três instâncias, antes da conclusão do processo de suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Dicas para motociclistas evitarem acidentes em períodos de chuvas

14/04/2016 Por:

img48057-1327326195-v580x435

Em tempos de crise, a opção por um veículo mais econômico, como as motos, tende a crescer, e os números confirmam isso. De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), a frota de motos no território brasileiro chegou a mais de 24 milhões, o que representa cerca de 27% da quantidade total de veículos do país.

Enquanto a frota cresce, a violência também neste segmento não dá trégua. Segundo informações da Seguradora Líder-DPVAT, de 2006 a fevereiro de 2016,  a frota de motocicletas teve um crescimento de 154%.  No ano de 2015, a motocicleta foi responsável por 46,15 % do total de indenizações pagas por morte e por 79,56% das indenizações pagas por invalidez permanente.

O uso de motos nos deslocamentos exige ainda mais dos condutores atenção e responsabilidade, em razão da vulnerabilidade e exposição aos riscos de acidentes e mortes. Quem utiliza uma motocicleta precisa ser muito cuidadoso e pilotar sempre de forma defensiva para não se tornar uma vítima. Diferentemente do carro, condutores e passageiros estão sempre muito mais expostos nas motos.

No período de chuvas, como o que estamos vivenciando agora, a questão da segurança ainda é mais complicada para os motociclistas. O ideal nesta época do ano é ficar de olho na previsão do tempo, antes de sair de casa. Com os aplicativos e internet, hoje ficou muito mais fácil até verificar horários com mais probabilidade de chuvas. Mas se a chuva surpreender você no trajeto, é importante respeitar algumas recomendações para se proteger:

– Não deixe de carregar acessórios que o mantenham aquecido e protegido da água; dessa forma, você terá melhores condições de se focar na via. Use roupas com tecidos impermeáveis, toucas, leve capa de chuva, e use sempre calçados que possam ampliar sua segurança, como, por exemplo, botas.

– Os riscos de queda e derrapagem em pista molhada são sempre maiores; então, a melhor opção é dirigir em velocidade reduzida e manter distância dos demais veículos, pois na necessidade de uma frenagem no asfalto escorregadio, parar é mais difícil.

– Não realize manobras arriscadas; pois nestas condições a sua visibilidade também estará prejudicada.

– Mesmo na chuva, é importante lembrar que o capacete precisa estar fechado e bem fixado.

– Tente desviar de poças d’água.

Ande com o farol aceso, mesmo durante o dia, para facilitar que outros condutores o vejam na chuva.

– Não se arrisque em situações de alagamentos para evitar se arrastado pelas águas.

Se a chuva estiver forte, não hesite em parar e esperar o temporal passar.

Seja preventivo! A sua segurança e a sua vida dependem das suas escolhas.

FONTE: ONSV (OBSERVATÓRIO NACIONAL DE SEGURANÇA VIÁRIA)

Vídeo apresenta os requisitos essenciais para a Direção Preventiva

11/04/2016 Por:

11_04_2016_Vídeo apresenta os requisitos essenciais para a Direção Preventiva

Se você acabou de tirar a Carteira de Habilitação ou se dirige há 50 anos, não faz diferença:  precisa praticar a Direção Preventiva. O conceito não está relacionado com adivinhação, mas, sim, à antecipação a situações que são corriqueiras nas vias e à adoção de cuidados básicos para prevenir acidentes.

De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), manter uma distância segura do veículo da frente e reduzir a velocidade quando estiver em uma área escolar são exemplos de Direção Preventiva. Cerca de 90% dos acidentes de trânsito são causados por falha humana, por isso, ser um motorista prudente e atencioso pode contribuir para diminuir a violência no trânsito.

Conheça, no vídeo abaixo, os três requisitos essenciais para a Direção Preventiva e faça a sua parte!

Vítimas precisam ter voz no combate à violência no trânsito

04/04/2016 Por:
Crédito: FreeImages.com/Frank Michel

Crédito: FreeImages.com/Frank Michel

Segundo os dados do Seguro DPVAT, em 2015, foram pagas indenizações pela morte de 42.501 brasileiros e, por invalidez permanente, para mais 500 mil pessoas. Estudo encomendado pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES) estimou que os acidentes no trânsito brasileiro provocam perdas anuais da ordem de R$ 197 bilhões para o país, o equivalente a 3.3% do PIB. Considerando o impacto econômico dos acidentes e o drama humano, os números são muito maiores quando consideramos os familiares das vítimas que sofrem com a perda de um ente querido ou mesmo com a triste luta diária dos que ficam inválidos.

Evidente que as autoridades têm que tomar medidas para combater a violência no trânsito, mas é preciso também o engajamento da sociedade, em particular das vítimas de trânsito e seus familiares. A voz das vítimas e suas famílias tem muito mais força porque são fruto da legítima dor. Para que essa voz ecoe é importante que ela tenha canais próprios e seja organizada. A melhor forma é através de associações e ONGs, formais ou não, mas que tenham metas e objetivos bem definidos. Por exemplo, faixas exclusivas para pedestres, sinal de trânsito, passarela, palestras nas escolas, aumento da fiscalização, enfim, questões que digam respeito ao dia a dia das pessoas e onde elas vivem.

Embora seja importante que as organizações desse gênero tenham propostas mais amplas para uma política estadual ou mesmo nacional de combate à violência no trânsito, é através de iniciativas micro que obtemos resultados mais rápidos e fica mais fácil engajar as pessoas. Com o tempo, as entidades podem se organizar em associações na sua cidade, no estado e até mesmo de cunho nacional. Levando propostas para o Legislativo e Executivo, ou seja, começar batendo na porta do prefeito para chegar um dia na porta da Presidência da República. Como aliado importante, as vítimas de trânsito, seus amigos e familiares, devem procurar a imprensa do seu bairro, cidade ou região. Os veículos de comunicação são sensíveis e abrem espaço para causas como a violência no trânsito.

Portanto, no nosso entender, é importante que as vítimas, seus amigos e familiares não se calem, não fiquem com a dor no seu peito, mas que façam parte dessa luta e contribuam com sua presença, manifestação, ideias e depoimentos. Nem que seja como uma maneira de homenagear as vítimas e evitar que novas existam.

Rodolfo Alberto Rizzotto

Formado em Direito e Economia, coordena o programa de segurança nas estradas SOS Estradas e edita o site www.estradas.com.br, onde é possível acompanhar os temas de seus artigos também em arquivos de áudio, disponíveis para download.