Arquivos mensais: agosto 2014

Indenizações do Seguro DPVAT saltam 14% no primeiro semestre, refletindo a violência do trânsito no Brasil

28/08/2014 Por:

O Seguro DPVAT pagou 340.539 indenizações no primeiro semestre de 2014. Essa quantidade representa um crescimento de 14% de pagamentos, perante o total realizado nos primeiros seis meses do ano passado. O número de mortes continuou em queda, desta vez, de 13% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em contraste com esta redução, as indenizações por invalidez permanente saltaram 21% e chegaram a 259.845 pagamentos em todo o Brasil. O levantamento foi realizado pela Seguradora Líder-DPVAT, administradora do seguro no País.

Mesmo com a redução de óbitos, o trânsito brasileiro ainda requer muita atenção dos órgãos públicos e privados. Para efeito de comparação, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgados no fim de julho, o confronto entre palestinos e israelenses deixou mais de 1.300 mortos. Em um mês, o trânsito brasileiro mata, em média, 4.100 pessoas. O panorama não é diferente quando analisado o quadro de feridos. Ainda segundo os dados da ONU, Gaza tem média mensal de 6 mil feridos, enquanto o trânsito supera 43,2 mil por mês.

Para o diretor-presidente da Seguradora Líder-DPVAT, Ricardo Xavier, os números refletem dois cençrios. “O avanço do pagamento de indenizações está relacionado a dois fatores. O brasileiro está conhecendo melhor seus direitos e recorrendo ao Seguro DPVAT. Entretanto, um ponto que deve servir de observação e política pública é o real aumento de acidentes de trânsito no País, principalmente os envolvendo as motocicletas”, explica Xavier.

As motocicletas continuam na liderança das estatísticas do Seguro DPVAT. Os acidentes envolvendo o veículo de duas rodas representaram 75% de todas as indenizações pagas pela Seguradora Líder-DPVAT no semestre (256.387). A alta incidência de acidentes nesta categoria contrasta com sua proporção na frota nacional, equivalendo a 27% do total de veículos. Os automóveis, que somam aproximadamente 60% da frota, foram responsáveis por 23% dos benefícios pagos (67.906).

O Nordeste registrou o maior número de acidentes indenizados pelo Seguro DPVAT, em suas três garantias (Morte, Invalidez Permanente e Reembolso de Despesas Médicas e Hospitalares) : 34% (113.996) durante o primeiro semestre de 2014, apesar desta região ter apenas a 3a. maior frota do País. Já o Sudeste, que possui a maior frota, ficou em segundo lugar, representando 26% (89.466) das indenizações pagas no período. As regiões Sul, Norte e Centro-Oeste registraram, respectivamente, 19%, 11% e 10% do total pago.

Com base nas estatísticas de pagamento do Seguro DPVAT, a Seguradora Líder-DPVAT traçou o perfil das vítimas de acidentes de trânsito. Em sua maioria são homens (75%). Um dado que requer atenção é a idade dos acidentados: 52% são jovens entre 18 e 34 anos que morreram ou ficaram inválidos, o que consolida uma tendência registrada em levantamentos anteriores.

Para mais informações, os dados estatísticos do Seguro DPVAT estão disponíveis para consulta no site da Seguradora Líder DPVAT. Clique aqui para acessá-los.

Mais segurança para os passageiros: cinto inflável é novidade no setor automotivo

25/08/2014 Por:

Aprimorar a segurança dos passageiros dos automóveis. Essa foi a intenção da Ford ao investir no lançamento de um cinto de segurança inflável. Recém-chegado ao mercado, o item reduz a lesão causada pelo próprio cinto em colisões. Para incentivar a adoção dessa tecnologia, a Ford decidiu licenciá-la para que outras empresas, inclusive concorrentes do setor automotivo, possam utilizar o sistema.

A novidade funciona como os cintos comuns, mas tem a vantagem de se abrir sobre o tronco e o ombro dos ocupantes, ajudando a distribuir as forças de impacto em uma área até cinco vezes maior que um cinto convencional. Também é capaz de controlar melhor o movimento da cabeça e do pescoço do passageiro em caso de colisão, o que reduz em muito as chances de lesões graves na coluna.

O cinto de segurança inflável já está disponível para os passageiros laterais do banco de trás nos modelos Ford Explorer, Flex e Fusion, além da picape F-150 e dos modelos Lincoln MKT e MKZ. A tecnologia pode ser aplicada também em outros meios de transporte, como helicópteros, aviões, barcos e até para uso militar.

Trânsito ainda mata muitos jovens. Conscientização é fundamental

21/08/2014 Por:


A violência no trânsito continua interrompendo vidas. Na madrugada do último sábado, dia 16 de agosto, um grave acidente entre dois veículos automotores provocou a morte de três jovens e deixou mais três feridos em um cruzamento da estrada de Três Rios com a Rua Comandante Ruben Silva, na Freguesia, zona oeste do Rio de Janeiro.

Um Ford Fiesta com três ocupantes de faixa etária entre 23 e 24 anos capotou após colidir violentamente com um Volvo que  ocupavam outros três jovens entre 20 e 21 anos de idade. Duas pessoas que estavam no Fiesta morreram na hora e a outra chegou a ser levada ao hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca – RJ, porém não resistiu aos ferimentos. Os outros três que estavam no Volvo felizmente sobreviveram ao impacto e já foram liberados do hospital após exames.

O acidente chama atenção para os dados críticos levantados pela Seguradora Líder – DPVAT. As estatísticas indicam que pessoas da faixa etária entre 18 e 34 anos receberam mais de 84 mil indenizações, representando 52% das indenizações pagas pelo Seguro DPVAT somente no primeiro trimestre de 2014. A mistura de álcool, direção, alta velocidade e excesso de confiança têm feito dos jovens brasileiros a faixa etária que mais se acidenta no trânsito, lamentavelmente.

Embora as causas do acidente ainda estejam sob investigação, os dois veículos apresentam registros de multas por trafegar acima da velocidade máxima permitida e o Fiesta também já havia sido autuado por condução sem o uso do cinto de segurança, segundo o Sistema de Controle de Infrações de Trânsito da Prefeitura do Rio.

O Brasil é o 4° lugar em número absoluto de mortes no trânsito, com mais de 43 mil, em 2013, perdendo apenas para a China, Índia e Nigéria, e segundo os dados do Ministério da Saúde, o trânsito mata cinco pessoas a cada hora, sendo as imprudências dos motoristas a principal causa dos acidentes nas estradas brasileiras.

Não permita que você faça parte dessas estatísticas, e também não espere perder um amigo para mudar suas atitudes. Dirigir exige cuidados e responsabilidades. A mudança de comportamento é fundamental para um trânsito mais seguro e harmonioso. Respeite a sinalização e utilize sempre o cinto de segurança.

Dia Nacional do Ciclista: responsabilidade, segurança e mais saúde nas vias do Brasil

18/08/2014 Por:

Amanhã, dia de 19 de agosto, vamos comemorar o Dia Nacional do Ciclista. A data é uma homenagem ao ciclista Pedro Davison, que morreu após ser atropelado por um carro em alta velocidade enquanto pedalava. A iniciativa visa promover um trânsito mais harmonioso e estimula o uso desse veículo, que é ecologicamente correto e benéfico à saúde, nos deslocamentos diários pelo país.

O transporte por meio de bicicletas infelizmente ainda não é um hábito frequente entre a maioria dos brasileiros. Estima-se que o Brasil tenha hoje cerca de 70 milhões de bikes, porém não existem quase vias exclusivas e seguras para se trafegar. Os ciclistas disputam espaços nas ruas com carros, caminhões e ônibus, e, na maioria das vezes, são ignorados, ou se quer percebido por eles, fato que provoca diversos acidentes e coloca em “xeque” a utilização do meio de transporte.

Um levantamento feito pelo site G1 evidencia que as 26 capitais do Brasil acumulam apenas 1.118 km de ciclovias – número que representa somente 1% do total da malha viária das cidades (97.979 km de rua). O Rio de Janeiro ocupa a primeira colocação, com 361 km de extensão. Segundo a Prefeitura da cidade, são realizadas 1,5 milhão de viagens de bikes todos os dias. Para efeito de comparação, a cidade de Amsterdã, capital da Holanda, possui 400 km de ciclovias, sendo que a área territorial e população são significativamente menores em relação ao Rio de Janeiro.

Os ciclistas não necessitam de qualquer tipo de habilitação oficial para dirigir, e o Código de Trânsito Brasileiro (artigo 105, inciso VI) exige como equipamentos para as bicicletas a campainha, sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais, além de espelho retrovisor do lado esquerdo. A resolução nº 46, de maio de 1998, detalhou essas exigências e determinou a obrigatoriedade dos itens a partir de janeiro de 2000, mas esses dispositivos são ainda negligenciados por muitos ciclistas, o que coloca sua segurança em risco.

Infelizmente, pouco se tem feito para a segurança desse grupo, como por exemplo, o capacete ainda não é um item obrigatório, porém é importantíssimo para amenizar o impacto sob a cabeça em caso de acidentes. Além disso, não existe uma fiscalização rigorosa quanto ao uso desses equipamentos de proteção, sendo assim, as bicicletas são mais vulneráveis e necessitam de mais cautela dos seus usuários e respeito dos demais veículos que compartilham as vias.

Esse tipo de veículo tem ganhado cada vez mais espaço no trânsito em geral. Algum tempo atrás, era utilizado apenas como forma de lazer, e devido à ideia de sustentabilidade, somado aos longos congestionamentos provocados pelos veículos automotores, andar de bicicleta tem sido um hábito muito saudável para a mobilidade urbana. Pedalar melhora o condicionamento físico, aumenta a capacidade cardiorrespiratória e a prática está entre as mais apropriadas na prevenção e tratamento de doenças como hipertensão, colesterol alto, infarto do miocárdio, entre outras.

Na cidade de Copenhague, capital da Dinamarca, um hotel considerado um dos mais sustentáveis do mundo instalou bicicletas em sua academia, ligadas a geradores de energia, e lançou um desafio: os hóspedes que pedalarem o suficiente para gerar 10 wh de energia recebem um voucher para jantar no Restaurante do Hotel. Para se ter uma ideia, 15 minutos de pedalada mantém uma lâmpada de 60 W ligada por cerca de 1 hora. Já Na França, o governo paga pra quem escolhe ir de bicicleta para o trabalho cerca de R$ 0,80 por cada quilômetro. Já são mais de 10 mil funcionários, de 20 empresas, pedalando por lá.

Parabéns a todos os ciclistas conscientes do Brasil e do mundo!

De olho nas campanhas publicitárias que chocam ou emocionam para alertar e educar motoristas

14/08/2014 Por:


Campanhas para eliminar os maus hábitos dos motoristas são muito importantes e frequentemente são premiadas. Recentemente, um grupo japonês elegeu as 40 campanhas mais “tocantes” do mundo.

Entre as eleitas estão as que envolvem os hábitos na direção. Uma delas é a da agência brasileira, Terremoto, feita para a concessionária Ecovias. Na imagem, a reprodução do acidente é feito por meio de tatuagens em conjunto com a ação de um soco.

Uma cidade Russa também se preocupou com o uso do celular na hora da direção. Ela fez uma campanha alertando para o envolvimento de crianças em acidentes de atropelamento durante os feriados. Na cena, um casal olha um mapa de trânsito e conversa ao celular, sem perceber que uma criança está atravessando a rua.

A campanha feita para o governo da Tailândia também está na lista dos eleitos. Ela chama a atenção para os motoristas que dormem ao volante. No detalhe, um olho fechando e um pai com o filho na direção do carro.

A agência Jupiter Drawing, da África do Sul, também promoveu uma campanha interessante, na qual instalava rodas, semelhantes às das cadeiras de rodas em vasos sanitários, para promover a conscientização. Havia também uma placa com os dizeres: “Sente-se e pense nas consequências de dirigir alcoolizado”.

Para reforçar a ideia de um trânsito mais seguro, assista ao emocionante vídeo “Embrace Life”, em português, Abrace a vida. Trata-se de mais uma campanha educativa e pública britânica produzida pela Sussex Safer Roads Partnership (SSRP), uma iniciativa do governo local na área do município histórico de Sussex, na Inglaterra, com o objetivo de aumentar a segurança rodoviária e reduzir os sinistros nas estradas da região.

Desde o seu lançamento em janeiro de 2010, o anúncio já teve mais de 18 milhões de visualizações no YouTube e já recebeu vários prêmios, incluindo YouTube Ad of the Year, um prêmio de Segurança Rodoviária Prince Michael International, New York International Advertising Awards; um Leão de Bronze no Cannes Advertising Awards internacionais, entre outros.