Arquivos mensais: fevereiro 2014

Evite acidentes e garanta a alegria no Carnaval!

28/02/2014 Por:

Foliões do país inteiro já estão preparados para o Carnaval. É um período de muita festa, mas não podemos deixar alguns cuidados com a segurança de lado. Até quem não curte os dias de folia, mas tem planos para viajar nessa época, deve seguir alguns procedimentos de segurança.

 

A principal orientação é com relação à bebida alcoólica. Sempre que for beber, dê preferência ao transporte público ou volte para casa de taxi. Ou então, eleja um amigo como o “motorista da rodada”, para que ele leve todos em segurança. Nunca dirija sob efeito do álcool, colocando a sua vida e das demais pessoas que utilizam as vias em risco.

 

Nos últimos anos, as ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores, no período de Carnaval, cujas indenizações foram solicitadas à Seguradora Líder DPVAT tiveram um crescimento significativo, principalmente nos casos envolvendo motocicletas, que, de 2009 a 2013, cresceram 116%, números estes que ainda podem aumentar pelo fato do prazo de pedido de indenização ser de até 3 anos.

 

Os sábados e domingos do Carnaval, são os dias da semana deste feriado que apresentam maior incidência de ocorrências, nos últimos 5 anos, nestes dias foram observadas mais de 40%, das ocorrências. Em todos os anos analisados, as faixas etárias de 18 a 34 anos foram as que mais estiveram envolvidas nos acidentes de trânsito, representando nestes anos todos, percentuais superiores a 54%.

 

Todos os anos, milhares de vidas são perdidas no trânsito como resultado de ações irresponsáveis de alguns motoristas. Vamos continuar trabalhando para garantir, cada dia mais, a paz no trânsito. Não permita que uma atitude imprudente acabe com sua festa!

 

O bloco carioca, Alegria Sem Ressaca (foto), iniciativa da ONG Trânsito Amigo, por exemplo, defende uma folia responsável, passando uma mensagem educativa de que é possível brincar no Carnaval sem colocar a sua vida e a dos outros em perigo.

 

Aproveite a folia sim, mas com responsabilidade! Bom Carnaval para todos!

Bicicletas elétricas tem velocidade máxima definida: 25 km/h

24/02/2014 Por:

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou, em novembro do ano passado, uma proposta que altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97) e equipara as bicicletas elétricas às convencionais, além de padronizar a dispensa de registro e licenciamento desses veículos em todo o país.

 

O projeto em questão limita a potência máxima das bicicletas elétricas em 250 watts e obriga a instalação de dispositivo que corte a alimentação do motor quando for atingida a velocidade de 25 km/h. Também não haverá exigência de idade mínima e de autorização emitida pelo município para que o condutor esteja apto a conduzir o veículo em questão. Os modelos também devem estar dotados de indicador de velocidade, campainha, sinalização noturna dianteira, traseira e lateral, espelhos retrovisores, além de pneus , que proporcionem segurança ao ciclista.

 

Dessa forma, as bicicletas elétricas têm liberdade para circular em ciclovias e ciclo faixas, desde que garantam o funcionamento do motor somente quando o ciclista pedalar.

 

FONTE: Agência Câmara e Catraca Livre

Saiba como aliar segurança e conforto no transporte de animais

20/02/2014 Por:

Muitos não sabem, mas o Código de Trânsito Brasileiro instrui quanto ao transporte de animais em carros de passeio. Nada de tomar vento na cara, ir de carona no banco da frente e soltos nos carros.

 

O ideal é que eles sejam transportados em caixas ou em cintos especiais de segurança, artigos encontrados em lojas especializadas e pet shops. Se o animal estiver solto no veículo, pode tirar a atenção do motorista, causar algum acidente ou até mesmo se machucar.

 

Esse mês publicamos um vídeo que apresenta algumas dicas para transportar nossos queridos animais com conforto e segurança:

Conheça o perfil das vítimas de acidentes de trânsito em 2013 no Brasil

17/02/2014 Por:

Em 2013, as principais vítimas de acidentes de trânsito indenizados pelo Seguro DPVAT foram homens, somando 76%. Quando observada a faixa etária, a maior incidência de pagamentos foi para vítimas entre 18 e 34 anos (50,9%) predominantemente para o sexo masculino (40%).

 

Quando analisado o perfil das vítimas, 60% dos benefícios foram pagos para os condutores (53% para motociclistas e 7% para motoristas dos demais veículos), seguidos pelos pedestres (22%) e por passageiros dos veículos (18%).

 

O estudo aponta que 71% das indenizações pagas em 2013 foram para acidentes envolvendo motocicletas, embora o veículo de duas rodas represente apenas 27% da frota nacional. Em seguida, os automóveis, que somam 60% da frota, foram os veículos que responsáveis por 24% dos acidentes indenizados.

 

No ano de 2013, observa-se que os motoristas são as principais vítimas de acidentes envolvendo motocicletas (74%), já nos acidentes envolvendo automóveis e caminhões os pedestres são os mais atingidos (49% e 39%, respectivamente) e em acidentes com veículo coletivo, as principais vítimas são os passageiros (52%).

Número de indenizações do Seguro DPVAT aumenta em 25% no ano de 2013

13/02/2014 Por:

A quantidade de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT no ano de 2013 registrou um aumento de 25% em relação a 2012. Os dados são da Seguradora Líder-DPVAT, administradora do seguro no País, que dispendeu montante superior a R$ 3,2 bilhões em pagamentos de indenizações.

 

O estudo aponta um crescimento de 26% nas indenizações por invalidez permanente pagas em 2013, que totalizaram 444.206 pagamentos. Esta foi a cobertura com maior incidência de pedidos, registrando 70%. As indenizações por reembolso de despesas médicas e hospitalares representaram 21% da quantidade total de pagamentos do ano de 2013. O levantamento traz uma perspectiva positiva: a redução de 10% no número de indenizações pagas por morte no Brasil.

 

Dos recursos arrecadados pelo Seguro DPVAT, 45% são destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para ajuda no custeio do tratamento de vítimas de trânsito. Em 2013 este valor superou R$ 3,6 bilhões, enquanto, em 2012, foram direcionados R$ 3,2 bi ao SUS. Outros 5% são destinados ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para realização de campanhas educativas e ações preventivas no trânsito brasileiro. Em 2013, foram entregues mais de R$ 400 milhões ao órgão.

 

Um dos principais destaques da gestão do Seguro DPVAT pela Seguradora Líder-DPVAT, em 2013, foi o aumento significativo do número de pontos de atendimento para a solicitação do seguro, chegando a 7.757, um aumento de 62%.

 

“Nós temos uma preocupação constante em ampliar o acesso da população brasileira ao Seguro DPVAT. Uma ação importante, em 2013, foi a consolidação da parceria com os Correios, permitindo que as agências próprias servissem como pontos oficiais de atendimento. Desta forma, a Seguradora Líder-DPVAT está presente em 100% dos municípios do território nacional” comentou Ricardo Xavier, diretor-presidente da Seguradora.

Precisa transportar a sua bicicleta? Saiba como fazer!

10/02/2014 Por:

Para transportar cargas do lado de fora do veículo, o condutor deve respeitar a Resolução do Contran n°349/10, que estabeleceu critérios para transporte eventual de volumes em automóveis, caminhonetes e utilitários. Alguns servem tanto para pranchas de surfe quanto para bicicletas ou outros objetos que precisem ser transportados.

 

De acordo com a Resolução, o transporte de cargas deve respeitar o peso máximo especificado para o veículo. Para saber qual é, basta verificar o manual do automóvel. Além disso, a carga ou a bicicleta deve estar afixada de modo que:

 

– não coloque em perigo as pessoas nem cause danos a propriedades públicas ou privadas e, em especial, não arraste pela via e nem caia sobre esta;

 

– não atrapalhe a visibilidade a frente do condutor nem comprometa a estabilidade ou condução do veículo;

 

– não oculte as luzes, incluídas as luzes de freio e os indicadores de direção e os dispositivos refletores; ressalvada, entretanto, a ocultação da lanterna de freio elevada (categoria S3);

 

– não exceda a largura máxima do veículo;

 

– todos os acessórios tais como cabos, correntes, lonas, grades ou redes que sirvam para acondicionar, proteger e fixar a carga deverão estar devidamente ancorados;

 

– não se sobressaiam ou se projetem além do veículo pela frente.

 

Também é obrigatório o uso de segunda placa traseira de identificação nos veículos na hipótese do transporte eventual de carga ou bicicleta resultar no encobrimento, total ou parcial, da placa traseira.

 

Lembre-se que esses itens têm o objetivo de garantir a sua própria segurança e dos demais condutores. Respeite e faça o transporte de cargas de forma adequada. Para mais informações, consulte a Resolução n°349/10 do Contran no link:

 

http://www.denatran.gov.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN_349_10.pdf

Segurança na volta às aulas: você está atento?

06/02/2014 Por:

Estamos na semana de volta às aulas e, por isso, chamamos a atenção de pais e responsáveis para a segurança no transporte escolar. Para os pais que estão pensando em contratar um serviço de van para fazer o trajeto, é importante verificar qual a condição do veículo que fará o transporte, se possui cintos de segurança, se o motorista está habilitado para a função e se a empresa está autorizada pelo município para trafegar com alunos.

 

Oriente seu filho para que permaneça sentado durante todo o trajeto e coloque o cinto de segurança assim que entrar no veículo. Brincadeiras e outras atitudes que podem tirar a atenção do motorista devem ser evitadas.

 

Os pais que levarão os filhos em veículos próprios devem lembrar-se que todos também devem usar o cinto de segurança. Além disso, crianças com até 7 anos (ou 36kg) devem ser transportadas em cadeirinhas infantis específicas. (Consulte nosso post sobre isso)

 

As crianças que farão o percurso a pé precisam de orientações especiais, se forem sozinhas. A dica é ensiná-las a andar na rua com alguns conselhos simples, como olhar várias vezes para os dois lados antes de atravessar a rua e continuar atento enquanto atravessa. Usar a faixa de pedestres sempre que possível. Mesmo com o sinal fechado, aguardar para ter certeza de que todos os carros irão parar. Alguns motoristas imprudentes “furam” o sinal e podem colocar a segurança da criança em risco.Outra boa dica é fazer o trajeto junto com o filho nos primeiros dias, sinalizando todos os pontos em que ele deve prestar atenção, para que ele já fique mais familiarizado com o caminho.

 

Fique atento à segurança do seu filho. Boas práticas devem ser ensinadas desde cedo, para que ele seja sempre um cidadão consciente!

Ônibus atropelam, em média, duas pessoas por dia em São Paulo

03/02/2014 Por:

Dados obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação revelam que os ônibus da São Paulo Transporte (SPTrans) atropelam, em média, duas pessoas por dia nas ruas da capital. Em 2012, foram 695 atropelamentos, destes 44 com mortes . Até outubro de 2013, foram 567 acidentes, com 34 mortes.

 

Representando apenas 0,3% da média de veículos circulando por dia na capital, os coletivos municipais estão relacionados a 7,5% dos homicídios culposos (não intencionais) no trânsito neste ano. A média de coletivos da SPTrans que trafegam por dia na cidade é de 13,8 mil – a estimativa da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) é de que 3,8 milhões de veículos circulem diariamente em São Paulo.

 

A SPTrans afirma que trabalha para diminuir esses números. A pasta diz que está estruturando um curso para aprimoramento das técnicas de segurança. “Desta forma, os operadores do sistema de transporte coletivo gerenciado pela SPTrans receberão aulas de pilotagem segura e noções de direção defensiva”, diz a empresa em nota.

 

De acordo com dados da Seguradora Líder DPVAT, 37% das vítimas de acidentes envolvendo ônibus e micro-ônibus, em todo o Brasil, são pedestres. O Rio de Janeiro é o estado com maior incidência de indenizações pagas por morte envolvendo coletivos, representando 8%.

 

É importante que as empresas de ônibus estejam atentas a este problema. O treinamento correto para seus condutores pode significar mais segurança no exercício da profissão.

 

FONTE: Estadão e Seguradora Líder