Arquivos mensais: julho 2013

Participe da Campanha AQUI TEM SEGURO DPVAT

29/07/2013 Por:

 


Acompanhe diariamente as postagens no Facebook do Seguro DPVAT  (www.facebook.com/DPVAToficial) com fotos de cidades em que os pontos de atendimento do DPVAT estão presentes.

Atingir 98% dos municípios brasileiros esse ano, através da parceria com os Correios, foi um marco importante para a Seguradora Líder DPVAT, empresa que administra o Seguro DPVAT no Brasil.  E isso motivou o lançamento da campanha, que reforça a abrangência dos pontos de atendimento do Seguro no país.

Depois de algum tempo no ar, a campanha será encerrada com um vídeo. Conceitualmente, as imagens em movimento tentarão passar a ideia de que os braços da nossa logomarca estão envolvendo as cidades brasileiras, reforçando o conceito de que O SEGURO DPVAT É DO BRASIL E DE TODOS OS BRASILEIROS.

Participe e curta nossa campanha. Prestigie a sua cidade e o nosso Brasil!

Nossa homenagem aos motoristas e motociclistas

25/07/2013 Por:

Hoje, 25 de julho, é comemorado o Dia do Motorista, por isso, gostaríamos de homenagear todos os condutores de carro, ônibus ou caminhão, seja por prazer ou profissão. Mas até onde vão os sentimentos de uma pessoa pelo seu veículo? Para muitos, mais do que conduzir, ser motorista envolve um cuidado muito especial, horas dedicadas à limpeza e manutenção do carro, por exemplo. Que brasileiro é apaixonado por carros, não há dúvidas. Mas o sentimento por motos não fica muito atrás, apesar do risco de acidentes ser maior.

No próximo sábado, dia 27 de julho, será comemorado o Dia do Motociclista. Para os amantes de motos, com certeza é uma data especial. Muitos consideram que ser motociclista é muito mais do que conduzir uma moto: é um estilo de vida. Mas o dia também é importante para aqueles que utilizam esse tipo de veículo como meio de trabalho, como os motoboys. É importante chamar atenção para essa categoria que enfrenta a violência no trânsito diária,  principalmente nas grandes cidades.  O risco sobre duas rodas também existe no interior, que registra uma grande quantidade de acidentes com vítimas fatais e invalidez permanente.

Aproveitamos a data também para reforçar a conscientização sobre segurança no trânsito. Condutores e motociclistas são fundamentais para que o ambiente nas ruas e estradas seja o mais harmônico possível. Respeitar sempre os limites de velocidade e demais leis de trânsito, usar o cinto de segurança e nunca misturar bebida alcoólica com direção, são alguns comportamentos que devem ser constantes no trânsito. Além disso, manter o veículo e a moto sempre em boas condições, fazendo revisões periódicas, também é importante.

Se cada um fizer a sua parte, poderemos mudar o cenário do trânsito brasileiro que é tão violento hoje. Não se esqueça também do meio ambiente, não jogue lixo nas ruas e respeite os animais!

Dirija com prazer. Seja um motociclista consciente. Vamos levar paz e gentileza para as ruas!

Medidas de segurança podem reduzir acidentes com vítimas fatais nas férias, que aumentou em 6,6%

22/07/2013 Por:

As férias escolares estão aí e muitas famílias aproveitam o período para viajar pelo país. Dados da Seguradora Líder DPVAT, que administra o Seguro DPVAT, apontam que em julho de 2012 foram registrados 27.539 acidentes de trânsito com vítimas (sendo 3.602 fatais), um aumento de 6,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Algumas medidas simples fazem com que você e sua família viaje com mais segurança e minimizem os riscos de uma lesão grave em decorrência de um acidente.

O uso do cinto de segurança no banco traseiro, por exemplo, pode ser um item que pode salvar muitas vidas. Mesmo obrigatório, muitos brasileiros ainda não têm o hábito de afivelar o cinto no banco traseiro nas ruas das cidades ou quando vão viajar. Estudos apontam que  um passageiro, de aproximadamente 60 quilos, que não estiver usando o cinto de segurança no banco traseiro durante uma colisão a 60 km/h será arremessado para a frente e para o alto com um peso estimado em 1 tonelada. Muitas vezes, tal impacto é letal para o passageiro e também para quem estiver no banco da frente, mesmo que este esteja usando o cinto.

Outro cuidado básico para fazer uma viagem mais segura é que o motorista faça “intervalos” para descansar e fazer uma alimentação leve. Estes são dois pontos que, se não observados, podem dar sonolência oferecendo um risco equivalente ao de um motorista embriagado.

Antes de pegar a estrada é preciso ter cuidado especial com alguns itens do veículo. Por exemplo, estar com a troca do óleo em dia é fundamental para que o motor não o deixe na mão em plena viagem. Para atingir o nível correto de óleo,  é preciso verificar se ele se encontra entre os dois traços do medidor e não só o traço superior. Se o óleo fica abaixo do mínimo da vareta, o motor pode ser prejudicado por falta de lubrificação. Conferir se o fluido do radiador está na medida exigida pelo fabricante do seu veículo pode garantir a tranquilidade da sua viagem.

Atenção especial também deve ser dada aos pneus. Antes de iniciar a viagem, confira se os pneus e o estepe estão devidamente calibrados. Além disso, certifique-se de que o extintor de incêndio está na validade e que o triângulo de sinalização e as ferramentas necessárias para troca de pneus estão no carro.

Agora, sim, é hora de aproveitar os dias de férias! Boa viagem!

Férias de julho: diversão com segurança e boas recordações

15/07/2013 Por:

O mês de julho chegou e, para muitos, isso é sinônimo de férias e viagens. Para aqueles que vão colocar “o pé na estrada”, uma dica: organização. Planeje com antecedência todas as etapas da viagem, todos os documentos necessários e organize as malas com tranquilidade para que nada seja deixado para trás. O destino é o de sua preferência, pode ser o campo, praia ou cachoeira.

A Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, pesquisa mensal recém divulgada pelo Ministério do Turismo (MTur), mostra que a região mais procurada é a Nordeste (52,3%), seguida do Sudeste (25,8%) e do Sul (12,4%).

Quem optar por viajar de ônibus deve saber que também recebe a cobertura do Seguro DPVAT, assim como carros, motos e caminhões. As crianças de até seis anos podem viajar gratuitamente, desde que não ocupem poltrona e sejam respeitadas as leis relacionadas ao transporte de menores. No Brasil, crianças de até 12 anos só podem viajar sozinhas com autorização do Juizado de Menores. Maiores de 12 anos podem viajar sem acompanhantes, desde que estejam com seus documentos. Além disso, é indispensável o uso de cinto de segurança também nesses veículos.

Os motoristas que irão pegar a estrada com seus carros não devem ingerir bebida alcoólica nem antes e nem durante a viagem, além de medicamentos que possam afetar os sentidos. Devem sempre respeitar os limites de velocidade e as regras de ultrapassagens, para garantir que o trecho percorrido seja feito com a máxima segurança. O uso do cinto de segurança é obrigatório e fundamental para todos os integrantes do veículo. Bebês e crianças pequenas devem ser transportadas com o equipamento adequado. (Veja mais informações nesse post – colocar post sobre as cadeirinhas infantis)

Já os motociclistas não podem esquecer dos itens de segurança necessários, tais como capacete e luvas, além de respeitar sempre a sinalização de trânsito e ter cuidado redobrado ao trafegar em vias de grande circulação.

Lembre-se: a sua viagem deve ser motivo de descanso e diversão para você e sua família. Planejar uma viagem segura pode ser a garantia de que as lembranças sejam somente de bons momentos. Seja prudente, respeite os demais usuários das vias e tenha uma boa viagem!

Fórum discute cultura de segurança no trânsito sobre duas rodas

11/07/2013 Por:

Acontece hoje, no Rio de Janeiro, a abertura do Congresso Internacional de Traumatologia – XXVI ORTRA INTERNACIONAL – com o Fórum Segurança no Trânsito Sobre Duas Rodas. O evento tem como objetivo promover a discussão em torno do tema, com a presença de palestrantes como Carlos Ferreira, Presidente da Federação de Motoclubes do Rio de Janeiro, Dra. Marta Silva, do Ministério da Saúde, Dr. Marcos Musafir, Presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, José Aurélio Ramalho, Presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, deputado Hugo Leal, Presidente da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro e Dr. Sergio Franco.

Este é um assunto que merece atenção especial. De acordo com dados divulgados pela Seguradora Líder DPVAT, o número de indenizações pagas por morte de motociclistas, de janeiro a março deste ano, representou 40% dos 14.349 benefícios concedidos no período. Embora as motocicletas representem apenas 27% da frota nacional, no primeiro trimestre de 2013, foram responsáveis por 70% das indenizações pagas. Ao passo que os automóveis, que representam a maior parte da frota de veículos (60%), foram responsáveis por 24% das indenizações no mesmo período.

Dados divulgados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP aumentam ainda mais a discussão sobre itens de segurança obrigatórios para os motociclistas. O número de amputados em decorrência de acidentes de trânsito teve um aumento de 100% de 2011, quando foram registrados 13 casos, para 2012, em que houve 26 amputações. A maioria dos casos que acaba em amputação está relacionada a acidentes com motos, cerca de 80%. Os membros mais atingidos neste tipo de acidente são os inferiores.

Claramente os motociclistas são os que mais sofrem com a violência no trânsito. Por isso, discutir sobre os riscos e benefícios desse meio de transporte se faz tão necessário, para que sejam colocadas em prática algumas medidas que podem ajudar a diminuir esses números, tanto de conscientização para uma condução mais segura quanto de mudanças na legislação.

Carros elétricos: uma realidade ainda distante do Brasil

08/07/2013 Por:

Uma pesquisa apresentada pelo doutorando Douglas Wittmann, do Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo, questionou a ausência de carros elétricos em larga escala no Brasil e, com base em uma análise crítica, forneceu dados que apontam as consequências e as razões da falta de integração de veículos elétricos no setor de transporte brasileiro.

Um veículo elétrico é movido por um motor elétrico, em vez de um motor a gasolina. Dessa forma, torna-se menos poluente, uma vez que não emite gases nocivos para a atmosfera, além de serem mais silenciosos. O motor elétrico recebe força de um regulador, cuja alimentação é feita por um conjunto de baterias recarregáveis.

A pesquisa cita que há uma previsão de que metade da frota de veículos do mundo será de carros elétricos daqui a 15 anos. Atualmente no Brasil, dos 35 milhões de veículos, somente 72 automóveis elétricos foram licenciados até 2012. No mundo, já são 4,5 milhões de carros elétricos em circulação. Deste montante, 95% são veículos elétricos híbridos, isto é, autoprodutores de energia, não necessitando de conexão à rede de recarga.

Wittmann garante que um dos maiores entraves para a entrada dos veículos elétricos no país é a recarga. “Não existem carros elétricos na rua porque não tem como abastecer”, disse. Outro ponto é que os veículos são mais caros do que aqueles movidos a combustível. “A alta taxa tributária está inviabilizando”, explicou o pesquisador.

A autonomia dos carros elétricos – distância que o veículo percorre sem recarregar a bateria – pode variar de acordo com o modelo do carro, e alguns chegam a 200 quilômetros. Além disso, sua vida útil é entre 8 a 10 anos.

Que os carros elétricos possam virar realidade no Brasil. Imagine um trânsito com menos poluição e com menos violência?  Precisamos valorizar a preservação do meio ambiente e a proteção de nossas vidas e das próximas gerações.

FONTE: Epoch Times

Você pratica a gentileza no trânsito?

04/07/2013 Por:

Carros, motos, caminhões, bicicletas e pedestres dividem o espaço nas ruas e avenidas das cidades e, a cada dia que passa, o número desses usuários só aumenta. Para conviver da melhor maneira possível, evitar situações de estresse e diminuir os riscos de acidentes, é importante respeitar as regras de trânsito e também praticar o respeito e a gentileza entre todos.

A colaboração mútua entre condutores e pedestres pode ajudar a resolver muitos problemas de trânsito e gestos simples podem fazer toda a diferença. Seguir as regras do Código de Trânsito Brasileiro, estar em dia com a manutenção do veículo ou não estacionar em cima da faixa de pedestres são algumas atitudes que os condutores podem tomar e que demonstram respeito pelos demais usuários das vias.

Além disso, devem ficar atentos para não bloquear cruzamentos, evitar freadas bruscas e tentar sempre que possível calcular o tempo que será gasto para chegar a determinado lugar, a fim de evitar dirigir com pressa, o que faz com que sejamos mais agressivos e negligentes. Os pedestres também devem fazer a sua parte procurando sempre atravessar a rua na faixa, esperar que o sinal fique vermelho para os veículos e atravessar nas passarelas quando houver necessidade.

Ajudar idosos e pessoas com deficiência a atravessar a rua também demonstra educação e respeito. Não custará nada e você garantirá que a pessoa chegue ao outro lado da via com segurança.

Pratique e divulgue o respeito e a gentileza no trânsito. Levar o outro em consideração ajuda a construir um ambiente mais saudável para todos!

Gasto do SUS com acidentes de ciclistas chegou a R$ 3 milhões em 2012

01/07/2013 Por:

A falta de equipamentos de segurança adequados aumenta os riscos de que um acidente grave aconteça com um ciclista. De acordo com o presidente da Federação Paulista de Mountain Bike, Clayton Palomares, a maioria dos ciclistas vítimas de acidentes de trânsito usa a bicicleta como meio de transporte. Por dia, são nove internações desses condutores somente no estado de São Paulo e o gasto do Sistema Único de Saúde (SUS) com essas pessoas chegou a mais de R$ 3 milhões no ano passado.

Para diminuir o número de acidentes, é preciso respeitar alguns procedimentos de segurança como usar o capacete. Essa medida não vale só para os atletas, mas também para quem usa a bicicleta como meio de transporte no dia a dia e, por isso, enfrenta um risco muito maior. “Em contato com o trânsito, essas pessoas ficam muito mais suscetíveis. Os esportistas já vêm com uma bagagem de mais conhecimento, têm a cultura de usar capacete, luva, óculos de proteção”, disse Palomares.

Além desses itens de segurança, é importante deixar a bicicleta sempre em bom estado para o uso e com os pneus cheios. “A principal orientação para garantir a segurança do ciclista é ficar sempre visível, seja na rodovia ou na cidade. A bicicleta precisa ter refletivos, tanto traseiro quanto dianteiro. É uma boa ideia ter lanterna, campainha para fazer barulho, e que o ciclista use roupas claras”, explicou o presidente.

Também é preciso respeitar a legislação de trânsito. “O ciclista precisa saber se comportar na via para garantir sua segurança. Por exemplo, nunca ande na contramão, essa é a regra número um. Se você vai de um ponto A, para um ponto B, calcule a sua rota, faça um trajeto para andar mais em ciclovia, ciclo faixa e evitar vias de muito fluxo. A bicicleta não tem seta, sinalize as suas intenções com a mão, indique para um canto ou outro. Avise ao carro que está atrás de você o que você vai fazer”, orientou Palomares.