Arquivos mensais: março 2013

Inexperiência é uma das principais causas de acidentes. E, no feriado, todo cuidado é pouco!

28/03/2013 Por:

Uma das principais causas de acidentes nas estradas é a falta de experiência dos condutores. A imperícia – falta de habilidade ou ausência de qualificação técnica, seja teórica ou prática – acontece em razão de possível treinamento inadequado do condutor ou da falta de prática de direção.

As condições para trafegar em estradas são diferentes das encontradas em ruas e avenidas de centros urbanos. Para evitar maiores riscos, o condutor inexperiente deve fazer a sua primeira viagem acompanhado por uma pessoa mais experiente, que pode orientá-lo durante o trajeto. Se não for possível, o motorista deve trafegar com a máxima cautela, sempre respeitando os limites de velocidade e as regras de ultrapassagens.

A imperícia, a negligência e a imprudência são as principais causas do grande número de acidentes em estradas. Mas os condutores também podem encontrar condições ruins de tempo e das próprias estradas. Por isso, recomendamos a todos os nossos leitores que irão viajar nesse feriado de Páscoa, que o façam com muita segurança. De 2010 para 2012, a quantidade de indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em acidentes ocorridos neste período registrou um aumento de 53,2%, pulando de 2.655 para 4.070.  Em 2012  foram registrados mais de mil acidentes por dia.

Mais expostas a acidentes, as motocicletas estão no topo das indenizações pagas em acidentes ocorridos durante a Semana Santa de 2012, representando 72,4% de todos os benefícios destinados às vítimas, dados que preocupam, segundo o diretor-presidente da Seguradora Líder DPVAT, Ricardo Xavier. “Analisando o comportamento de indenizações pagas em acidentes ocorridos durante a Semana Santa de 2006 a 2012, o número de benefícios por invalidez permanente pagos a motociclistas aumentou em 277%,” afirma Xavier.

Os homens foram os mais indenizados durante o feriadão. Eles receberam 72% das indenizações pagas. A faixa etária com maior incidência de acidentes foi a de 18 a 34 anos, totalizando 54,3% dos pagamentos. Entre os horários com maior número de acidentes estão o anoitecer, entre 17h e 19h30, para caminhões, motocicletas e automóveis. Para ônibus e micro-ônibus, o período da noite, entre 20h e 23h59, foi o horário com mais sinistros.

Feliz Páscoa!  Se viajar, um ótimo retorno!

Manutenção periódica não é despesa, é investimento em segurança!

21/03/2013 Por:

Para garantir a sua segurança na hora de conduzir o veículo é necessário checar o bom funcionamento do mesmo periodicamente. A manutenção não deve ser encarada como despesa e sim como um investimento em segurança. Por isso devemos estar sempre de olho em itens como pneus, freios, faróis, limpadores de para-brisa e espelhos retrovisores.

Os pneus devem estar em perfeitas condições e calibrados corretamente, ou seja, quando notar que estão ficando desgastados, é hora de trocar. A parte elétrica do veículo precisa estar funcionando perfeitamente. Os espelhos retrovisores, internos e externos, precisam estar limpos, firmes e regulados para uma posição que permita uma boa visibilidade pelo motorista. É importante verificar também o funcionamento dos limpadores de para-brisa, que devem estar sempre limpos e sem poeira. Cheque o reservatório de água e também a borracha das paletas.

Além disso, o bom funcionamento do veículo também é importante para quem vai passar pela vistoria do DETRAN, que checa a qualidade de diversos itens que atestam se o carro está apto a circular com segurança. Alguns pontos vistoriados são:

– Faróis: alto e baixo;

– Freios;

– Câmbio e marcha ré;

– Sinalizadores: sinais e emergência (pisca-pisca ou alerta);

– Emissão de gases: será medida a quantidade de CO2, entre outros gases emitidos pelo cano de descarga;

– Pneus;

– Limpadores de para-brisa;

– Esguicho do lava para-brisa funcionando (é importante encher o reservatório)

– Estado geral: Ferrugem, peças, amortecedores e suspensão;

– Extintor de incêndio dentro do prazo de validade.

Faça a sua parte! Dirija seguro e tranquilo!

Números alarmantes de acidentes com motocicletas no país

14/03/2013 Por:

Um levantamento feito pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo demonstrou que o número de mortes de motociclistas em decorrência de acidentes de trânsito aumentou 18% nos últimos dois anos. No estado, morreram 1.479 motociclistas em 2009 e 1.721 em 2011.

De acordo com dados divulgados pela Seguradora Líder DPVAT, a frota de motocicletas no Brasil teve um crescimento de 357% no período entre os anos de 2000 a 2011. No mesmo intervalo, os casos de indenizações do Seguro Dpvat por morte de motociclistas no trânsito brasileiro aumentaram 134%. É um numero muito significativo e que ainda pode aumentar, considerando que o beneficiário tem 3 anos para solicitar o seguro e para acidentes ocorridos em 2010 ainda cabe solicitação de indenização. Só no ano passado, a frota de motocicletas representou 39% das indenizações pagas por morte.

Os casos de invalidez permanente também apresentam números muito preocupantes. De 2000 a 2011, houve um aumento de 1.378% no número de pagamentos do Seguro DPVAT para essa categoria.  Só em 2012, as motocicletas representaram 74% das indenizações por invalidez permanente. Jovens entre 18 e 34 anos representam o grupo etário de maior incidência, com 53% dos casos. Destes, 44% foram decorrentes de acidentes com motocicletas.

As estatísticas nos dão uma boa noção de como ainda é ruim o cenário de acidentes com motocicletas no país. Seja por imprudência dos próprios motociclistas ou condutores de outros veículos, os números são muito alarmantes e pedem uma rápida mudança de pensamento. Quantas vidas precisarão ser perdidas ou prejudicadas para sempre, para que as pessoas percebam que a segurança no trânsito deve ser levada a sério?

Faça a diferença. Pratique a segurança e divulgue para amigos e familiares.

Mais cautelosas, mulheres foram minoria nas indenizações pagas em 2012

08/03/2013 Por:

Hoje é o Dia Internacional da Mulher e nada mais justo do que falar do comportamento delas no trânsito. Um estudo realizado pela Seguradora Líder DPVAT mostrou que, em 2012, do total de indenizações pagas (507.915), a minoria (23%) foi destinada às mulheres. Os benefícios concedidos por morte e invalidez permanente, envolvendo mulheres, pedestres e passageiras, somaram 66%, enquanto motoristas, representaram os outros 34%. Os acidentes com veículos de duas rodas também têm alto risco para esse público: 66% das indenizações por invalidez permanente foram pagas em acidentes envolvendo motocicletas. Já nos casos de indenizações por morte, 57% foram pagas por ocorrências envolvendo automóveis.

A maior incidência de indenizações de morte de mulheres está presente na faixa etária de 45 a 65 anos. “Embora as mulheres representem um número menor de mortes comparado aos homens, o envolvimento em acidentes de trânsito também é preocupante”, explica o diretor-presidente da Seguradora Líder DPVAT, Ricardo Xavier.

Nos casos de invalidez permanente, a maior incidência ocorre na faixa etária dos 18 aos 34 anos, correspondendo a 47% das indenizações pagas. “Neste caso percebemos uma grande perda na força produtiva do país. Nessas idades, as mulheres estão ingressando no mercado de trabalho e podem sofrer alguma sequela que impeçam de exercer a profissão de forma plena”, diz Xavier.

A região Sul concentra 14% da população feminina do país, o percentual de indenizações pagas envolvendo vítimas femininas, por Morte, em 2012, foi 19% e 29% para Invalidez Permanente. Já na Região Sudeste, tanto o percentual de Morte quanto o de Invalidez, 37% e 24%, respectivamente, ficaram abaixo dos 42% de concentração de mulheres.

Essas e outras informações, você encontrará no boletim estatístico disponível no site da Seguradora Líder DPVAT, em Centro de Informações, Dados específicos.

Vamos contribuir para um trânsito cada vez menos violento. Feliz Dia das Mulheres!